Natal para uns, 25 de dezembro para outros

Da Redação

A árvore está montada no canto da sala. As crianças esperam pelo momento em que poderão ver o que os papéis de presentes escondem e descobrir se o Papai Noel atendeu aos seus desejos. Na mesa, a família se reúne para a ceia do dia 25 de dezembro. Essa é uma das formas de se comemorar o Natal, mas não é a única. A celebração possui diversas expressões, ou seja, tem um significado singular para cada religião.

Para entender a celebração católica, é preciso ter em mente não a figura do Papai Noel, mas os presépios, comumente montados nesta época do ano nas igrejas e nas casas. A data marca o nascimento de Jesus. Para os cristãos, é o momento que marcará a história da humanidade, em que o considerado Salvador, enviado por Deus, é formado em carne e osso.

Como declarou o bispo da Diocese de Divinópolis, dom José Carlos Souza Campos, em sua mensagem natalina aos fiéis no último ano, a data celebra a encarnação da fé.

— A graça de Deus nos trouxe, mais uma vez, ao mistério do Natal do Senhor. Contemplamos, de novo, com alegria exultante, o mistério do Verbo de Deus que armou entre nós a tenda de sua humanidade. Esvaziou-se da sua glória e majestade para assumir a pobreza e a limitação de nossa carne, a fim de ensinar-nos a esvaziar-nos da criatura velha e pecadora para sermos conforme a imagem do Verbo. Desceu até nós para nos fazer subir com Ele. Jesus, o Filho de Maria, plenamente homem, o Verbo de Deus, plenamente Deus, assume nossa condição para revelar-nos nossa mais sublime vocação —expressou.

Significados

Apesar das diferenças, em algumas religiões o Natal também é encarado com significado similar. No espiritismo, por exemplo, como conta a Federação Espírita Brasileira (FEB), a data marca a oportunidade de os fiéis refletirem sobre as dificuldades de seguir os ensinamentos de Deus.

— Ainda que estejamos anos-luz da angelitude, constatamos que já conquistamos suficientes recursos intelectuais e morais para assimilar o Evangelho, vivenciando as suas lições. Além do mais, a Doutrina Espírita nos oferece um apoio inestimável. Em outras palavras, temos os meios disponíveis para nos transformarmos, efetivamente, em criaturas melhores. Contudo, permanecemos marcando o passo, sem avançar muito — explica.

No entanto, nem todas as religiões encaram o 25 de dezembro como um dia especial. Na data anterior, no entanto, os fiéis do judaísmo comemoram o Hanukah, que, em hebraico, significa festa das luzes. Tradicionalmente, a festa dura oito dias e, diariamente, os judeus acendem uma vela, até que o candelabro esteja completamente acesso no oitavo dia.

Comentários
×