Não poupou

Do Preto no Branco

Quem acompanha o deputado Cleitinho Azevedo (CDN) desde que era vereador, sabe que ele não mede palavras quando critica alguém ou alguma situação. No entanto, na família Azevedo não é só ele. Dois integrantes da família que entraram agora na política não são diferentes. O prefeito Gleidson Azevedo (PSC) e o vereador Eduardo Azevedo (PSC) mostraram a que vieram neste sentido durante a campanha e também depois de eleitos. Especialmente, o irmão gêmeo de Cleitinho, Gleidson. Ele comprovou isso já no dia da posse, quando fez duras críticas ao governador de Minas, Romeu Zema (Novo). Disse que ele veio a Divinópolis passear e não terá moleza a partir de agora. Insinuou que o fato de a cidade ter fechado por causa da onda vermelha é culpa dele. E olha que foram apenas minutos depois que ele se tornou oficialmente prefeito. 

Passear sempre 

No entanto, o “passear” de Zema em Divinópolis não foi só aquele, e não é hoje. Embora muitos não saibam, há pelo menos dois anos, Romeu Zema namora uma divinopolitana. A estudante de ciências contábeis Jéssica Fernandes conquistou o coração do araxaense desde que se encontraram pelas primeiras vezes. Porém, o romance nunca foi público e passou a ser ainda mais reservado quando Zema assumiu o Governo de Minas, o que não vem ocorrendo de poucos meses para cá. Antes restrito apenas a assuntos do governo e pouca coisa pessoal, os posts de Zema, agora, não só apresentam a namorada, como sugerem um compromisso mais sério. Com a vida amorosa em dia e Jéssica declarando seu amor por sua terra, além de Minas passar a ter uma primeira-dama, quem sabe Divinópolis não começa a ser vista com um olhar diferente?! Porque até agora outras regiões e cidades foram privilegiadas. 

Não só falou 

O bom mesmo é saber que falar muito e o “que der na telha” não tem problema nenhum, desde que a pessoa faça também. E, neste sentido, o governo de Gleidson Azevedo, por enquanto não pode ser questionado. Mal tomou posse e começou a agir. Ainda na Câmara, solicitou ao presidente da Casa, eleito no mesmo dia, Eduardo Print Jr., o agendamento de uma reunião extraordinária para votar reajustes de IPTU e taxa de lixo, previstos em lei. O que ele pretende, segundo disse, é que os reajustes sejam os menores possíveis por causa do novo agravamento da pandemia do coronavírus. E não parou por aí. No sábado, Gleidson se reuniu com todos os secretários traçando metas para os primeiros dias de trabalho, que, com certeza, não serão nada fáceis. Esta segunda-feira também foi de corre-corre e discussões que podem terminar em novidades ainda nesta semana. Tem muita gente aguardando e bota gente nisso.  

Das metas à prática 

E não precisou a semana iniciar para começar as ações. O forte calor dos últimos dias trouxe intensas chuvas acompanhadas de vento, causando alguns estragos pela cidade na última sexta-feira e no sábado. Em busca de  soluções imediatas, foi realizada uma reunião ainda na manhã de sábado entre a vice-prefeita, Janete Aparecida, e os secretários de Meio Ambientes e de Operações, Serviços Urbanos e Agronegócio, no sentido de agilizar a retirada de entulhos e os cortes de árvores. Como as chuvas não deram trégua e a cidade possui diversas árvores antigas, assim como a administração, este trabalho só está começando. Mas o importante é que está sendo feito. 

Pressão e decisão 

A primeira semana da gestão Gleidson/Janete é de pressão e também de decisão. Já começou com o aperto de lojas e outros estabelecimentos para que não fiquem de portas fechadas novamente, como ocorreu no início da pandemia. Primeiro, é importante ressaltar que não depende das gestões municipais, visto que os municípios que integram o plano Minas Consciente do Governo de Minas e precisam seguir o que ele determina. Segundo, o novo Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus ainda nem foi formado. Isso deve ocorrer até amanhã, com participação do prefeito, que defende a presença de mais representantes. Terceiro, é preciso lembrar da gravidade em que se encontra a cidade, não por culpa de quem precisa trabalhar e quem quer dar emprego, mas por irresponsáveis que não pensam nem nas suas próprias vidas. É por causa deles que os justos mais uma vez, terão que pagar pelos pecadores.

Comentários
×