Não existe regra, apenas exceção

 

Editorial

O assunto abordado pela Prefeitura na coletiva de imprensa nesta segunda-feira chamou bastante atenção: a explicação das medidas tomadas perante a tentativa de fraude na vacinação contra a covid-19. A coletiva veio de encontro do que este espaço editorial vem abordando há algumas semanas: a falta de noção e de sentimentos do brasileiro. À medida que representantes do Executivo iam detalhando as tentativas de burlar a imunização contra o coronavírus, as várias linhas já escritas neste texto ficam gritantes. Acredite se quiser, mas 17 homens se cadastraram como gestantes para serem vacinados; jovens saudáveis mostraram atestados de comorbidades; estagiários da saúde apresentaram documentos falsificados atestando que trabalhavam na linha de frente do enfrentamento à pandemia, entre outras situações. 

O fato exposto pela Prefeitura traz somente um sentimento: o de descrença. Há um enorme esforço para acreditar na humanidade, mas infelizmente estes tipos de atitudes nos impedem de crer em um futuro melhor, em um país diferente e bom para se viver. É certo que neste momento alguns vão dizer: mas não se pode generalizar a situação. Porém é impossível não perder a fé que dias melhores chegarão quando se vive em um país que tem denúncias de fura-filas e, agora, de tentativas de fraudes, desde o início da vacinação. É impossível não sentir uma profunda descrença ao ver que moramos em uma nação em que o ditado “cada um por si e Deus por todos” nunca foi tão real. É impossível não se sentir desolado ao se deparar com tal situação, pois esta é apenas a ponta do iceberg. 

Cada povo tem o governante que merece? Definitivamente, sim. É a mais pura verdade. Nua e crua. O brasileiro se revolta com as notícias de corrupção, de má administração do dinheiro público, com as obras paradas, os conhecidos “elefantes brancos”, com as filas do SUS, com a falta de infraestrutura, e cobra. E não é pouco. Exige de seus representantes atitudes corretas, no entanto, não pratica. É justo cobrar? Sim, afinal, eles são pagos para isso, mas é minimamente hipocrisia, pois, quer uma sociedade justa, evoluída, mas na primeira oportunidade mostra que isso está muito longe de acontecer. E, se há corrupção na política, é porque a corrupção “aqui embaixo” é tão grande ou maior do que a que acontece no meio dos “engravatados”. Exige evolução, transparência e responsabilidade, quando nós mesmos não damos exemplo, quando nós mesmos arrastamos esse país dia após dia para a lama. 

Vemos diariamente as boas ações que nos acalentam e refrescam a alma, mas sabemos que essa não é a regra, é a exceção. Infelizmente, aqui, a regra é fraude, é fura-fila. Aqui a regra é a falta de respeito, de responsabilidade, de empatia, que impedem o país de andar e o povo de evoluir; que nos estaciona, nos faz andar em círculos. Aqui, a regra é permanecer no mesmo lugar, sem grandes perspectivas de mudanças. O próprio brasileiro o impede de sonhar com pessoas melhores, políticos melhores e dias melhores. Mesmo que sonhar não custe nada. Imagine se tivesse que pagar! 

Comentários
×