Não contavam

Preto no Branco 

A volta do ex-vereador Sargento Elton (Patriota) ao cenário político promete balançar as peças já presentes no tabuleiro, até então prontas para entrarem no jogo das eleições municipais. O problema é que alguns pré-candidatos para cabeça de chapa, vice, ou mesmo a vereadores já haviam esquematizado as disputas sem contar com a presença do policial.  Agora, ou o jogo recomeça ou segue sujeito a alterações bruscas muito em breve, sujeito a prorrogação.

A saída 

Sargento Elton cumpria seu primeiro mandato e renunciou em março. Na época, sob alegação de queria se dedicar mais à família. Fez a leitura de uma carta de renúncia durante reunião ordinária na Câmara e, depois, protocolou o documento na Casa. Porém não demorou muito para que burburinhos pela cidade dessem conta de que ele voltaria devido à continuidade de sua intensa movimentação política internamente e nas redes sociais. A princípio, Elton até tentou negar, mas prevaleceu um ditado bastante popular: “onde há fumaça, há fogo”. 

Proposital? 

Nos bastidores políticos, principalmente em anos políticos, o que não faltam são conversas envolvendo todos os nomes do cenário. Uma delas é que Sargento Elton teria saído de forma proposital para lançar um de seus assessores a vereador e ele voltaria para encabeçar uma chapa na disputa à Prefeitura ou compor com alguém. E não é que desta vez as especulações parecem ter acertado na mosca? Sob sua batuta ou não, seu chefe de gabinete disputará uma cadeira na Câmara. Quanto ao ex- vereador, ele disse à coluna ter voltado porque a população o procurou e pediu, e que não pensou duas vezes, com o intuito de servir Divinópolis. 

Pode assumir 

E as possibilidades de Sargento Elton não se resumem a Divinópolis. Algo muito maior pode mudar radicalmente sua vida política. Como é de conhecimento de todos, ele se candidatou a deputado federal nas eleições de 2018. Teve 30.310 votos, se tornando o segundo suplente do Patriota. Como ele entra? O primeiro suplente, Duilio de Castro, já está prefeito em Sete Lagoas e vai disputar reeleição com grandes chances de vitória. E o titular da cadeira na Câmara Federal, Doutor Frederico, tem boa aceitação para disputar a Prefeitura de São João del-Rei. Assim, com estas duas possibilidades ocorrendo, a vaga é do Sargento Elton. Quer combinação melhor? 

Jaime e Fabiano? 

Voltando à nossa cidade, outra situação que já é ventilada nos bastidores promete surpreender muita gente. Os rumores são de que Jaime Martins e Fabiano Tolentino comporão uma chapa para entrar de vez na briga pela Prefeitura. A coluna conversou com pessoas bem próximas a um dos dois ex-deputados, que garantiram que a chance existe e é grande. Depois disso, o tabuleiro não deve ser apenas mexido, mas remexido. 

Vai esquentar 

Tendo eleições em outubro ou não, dois meses depois, dezembro, por exemplo, não será empecilho para a disputa pegar fogo, isso é certo. E não faltam motivos para isso. Além de muita gente na disputa (para variar), os nomes, se assim permanecer – contando com o atual prefeito, Galileu Machado, que já garantiu presença na disputa –, além de experiência, estão com muita vontade de vencer. A aposta é quem terá mais poder de convencimento para convencer uma população tão descrente nos políticos e, que principalmente, passa por um momento nunca vivido na história, pelo menos pela maioria que até então só conhecia epidemias, como a do coronavírus, por meio de notícias antigas. 

Comemoração dupla

2020 é ano eleitoral, atípico e de muito sofrimento para os brasileiros, divinopolitanos, especialmente aqueles que perderam parentes ou amigos para a covid-19. Entretanto, não é só de tristeza. Ainda bem. Esta edição faz questão de registrar em artigos e reportagens o aniversário de 108 anos de Divinópolis e os 49 do Agora. Claro que não será como nos anos anteriores, com exemplar especial e tampouco com comemorações na 1º de Junho. Mas os aniversários precisam ser lembrados e homenageados, mesmo que somente com palavras. Afinal, a história de um se mistura com a do outro e, sem dúvida, são motivos de alegria para muita gente. Não poderia, então, encerrar esta coluna sem meu abraço fraterno à cidade que escolhi para viver e aprendi a amar e à empresa que faz parte da minha vida.

Comentários
×