Não basta

Preto no Branco

Sem dúvida a melhor notícia que abre a semana é a chegada da vacina. A campanha nacional, que começa amanhã de forma simultânea, enche os brasileiros de esperança. Os imunizantes Coronavac, da farmacêutica chinesa Sinovac, e da AstraZeneca/Oxford chegam para trazer um alento ao sofrimento causado pelo coronavírus há quase um ano. Porém, mais do que nunca, é preciso lembrar a cada morador deste país – no nosso caso, a cada divinopolitano – que a vacina só não é capaz de frear esse vírus terrível que, só no Brasil, fez mais de 200 mil vítimas. Depende muito mais, como sempre dependeu, das medidas preventivas e, principalmente, do amor ao próximo, que há muito deixou de ser essencial para a maioria, infelizmente. 

Alterou a vida 

Cada dia fica mais claro que a pandemia assola todos os cantos deste país. A consequência é uma crise sanitária que já é considerada a maior do século e alterou a vida de todos, hábitos, costumes e, além disso, abalou a economia de vários países. Com a chegada da vacina, a expectativa é que a volta à rotina se estabeleça aos poucos. Porém, para isso, o uso de máscara e outras medidas seguirão da mesma forma, principalmente, pelo fato de a imunização ser realizada em várias etapas e, até atingir todos os alvos, ainda deve demorar um pouco. Assim, o que se espera é que quem, apesar de tantas privações e necessidades que não serviram de lição, mude seu comportamento e colabore para que tudo isso acabe o mais rápido possível.  

Preparativos 

Como nos estados e boa parte dos municípios, Divinópolis deve iniciar a vacinação já amanhã. Para isso, toda uma logística já havia sido montada pelo Governo de Minas. Para garantir e agilizar o transporte, além de insumos, aparelhos e pessoal da Saúde que vai trabalhar na vacinação, o governador Romeu Zema (Novo) determinou que as aeronaves oficiais do Estado sejam, preferencialmente, utilizadas para o transporte dos imunizantes e insumos em Minas Gerais. Com a proximidade da cidade com Belo Horizonte, é provável que o material venha por terra mesmo e chegue até a tarde de hoje. Desde o último sábado, a saúde local, que tem à frente o secretário Alan Rodrigo da Silva, está a todo vapor detalhando a ação que será realizada nas unidades de saúde do município. Na onda vermelha e com os números de casos e mortes crescentes, o divinopolitano contemplado na primeira etapa não vê a hora de ir para a fila. Com distanciamento, é claro!

Manifesto

Enquanto a população começa a semana cheia de esperança, entidades que representam diversas empresas em Divinópolis estão preocupadas com o fechamento mais uma vez do comércio. Desde ontem está em vigor o decreto da Prefeitura que permite o funcionamento apenas de serviços essenciais, como supermercados e farmácias. Já com a certeza de novos prejuízos, a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel),  Câmara de Dirigentes Lojistas de Divinópolis  (CDL), Sindicato do Comércio Varejista de Divinópolis  (Sincomércio), entre outros, prometem se manifestar sobre a medida. Na semana retrasada, parte dos empresários foi para a porta do Centro Administrativo protestar. Porém  o prefeito Gleidson Azevedo (PSC) enfatizou a todos no mesmo dia que se o município voltasse para a onda vermelha não adiantava protesto, pois iria fechar tudo como manda o Minas Consciente. E não deu outra. Pelo menos nesta semana, nada de abertura. O prefeito tem razão? Não resta dúvida. As entidades também? Claro. Afinal, sem trabalho e renda não se vive. No entanto, com a doença sem controle, é que não se vive mesmo.

Campeonato à parte 

Mudando radicalmente de assunto, já que a semana e seus acontecimentos importantes são o assunto, um campeonato à parte deve ser visto nesta quarta-feira. Pode ser a primeira decisão do Brasileiro 2020, pelo menos foi o que mostrou a última toda. “Tudo junto  e embolado.” Com a queda de produção drástica do São Paulo, outros times como Internacional, Atlético, Flamengo e o próprio Grêmio, adversário do Galo de amanhã, ainda estão na briga. E a rodada do meio de semana será decisiva. Além de Galo e o tricolor gaúcho, o time paulista pega um adversário direto, o Internacional, e o Flamengo duela com o Palmeiras que luta por uma vaga na Libertadores. Além destas decisões, tem um tempero a mais: o Atlético tem um jogo a menos. Assim, dependendo dos resultados, pode até voltar à liderança. Então, amanhã, por pelo menos duas horas, a covid não será o pensamento de milhares de torcedores com medo da doença, mas que também amam futebol. Ufa! Ainda bem. 

Comentários
×