Não aprende

 É uma polêmica atrás da outra, ter que dividir a Presidência com os filhos, partidos e redes sociais. Bem, não rimou tão certo como a música cantada por Marília Mendonça, mas é exatamente isso que vem ocorrendo com este início de mandato do presidente Jair Bolsonaro (PSL). É incrível, de uma ‘manota’ para outra o intervalo não chega a 15 dias. A continuar assim, o mandato caminha para falácias, promessas, entra e sai de ocupantes de cargos, troca de farpas e, claro, a internet, que, por enquanto, tem sido a única voz do presidente.

 A última

 Desta vez, um vídeo publicado por Bolsonaro no Twitter na noite da última terça-feira, 5, com cenas pornográficas gravadas no carnaval, desencadeou nova polêmica e recebeu críticas de vários países do mundo. Após mais esta situação, o Palácio do Planalto tentou amenizar a crise e informou, ainda na quarta-feira, que o presidente não teve intenção de criticar a celebração popular. O problema nestas situações é tentar consertar o que não tem conserto. Fica pior ainda. Se não tem o que falar ou conteúdo de interesse popular para postar, é melhor ficar quieto. Simples assim.  

 Na Tribuna

 O vereador Matheus Costa (PPS) usou parte do seu tempo ontem, na Tribuna Livre da Câmara, para explicar sobre a aceitação a Justiça da ação proposta pelo Ministério Público contra ele por estupro. A denúncia foi feita em fevereiro de 2017 e, dois anos depois, foi recebida na 3ª Vara Criminal. Matheus, como à época, negou a prática do ato e disse que vai provar sua inocência. Essa é torcida, visto que ele acabou de assumir seu mandato na Câmara. Agora é aguardar os próximos trâmites. 

 Sem assuntos

 Ainda na Câmara, o recesso no Carnaval foi ruim também para os vereadores. Assuntos fracos e repetidos marcaram as falas. Nem as já conhecidas e esperadas “trocas de farpas” foram vistas por lá ontem. Predominante mesmo foi a homenagem às 17 mulheres que receberam o diploma “Mulher Cidadã” pelo dia Internacional da Mulher, celebrado hoje. Salvou o dia.

 É pra comemorar

 Se outras cidades e capitais do Brasil não têm o que comemorar no Dia Internacional da Mulher, celebrado hoje, pelo menos neste quesito Divinópolis vive dias tranquilos. Dados da Polícia Civil mostram que houve redução de 12% de casos envolvendo violência contra a mulher. Os números são do ano passado, acrescentados aos meses de 2019. Sem dúvida, motivo suficiente para celebrar, visto que virou moda o crime de feminicídio. O motivo? O machismo, a desigualdade e a discriminação, infelizmente, ainda presentes na sociedade.

 Uma semana

 Para comemorar a data e a redução do crime, a Delegacia Regional que tem à frente Leonardo Pio, sempre com a ajuda da delegada da Mulher, Gorete Rios realiza, a partir de hoje, várias ações. Essa é a primeira vez que o evento é estendido por uma semana. Em 2017, foram dois dias e, em 2018, quatro. Uma passeata saindo da praça da Catedral para a Santuário, às 8h30, abre as atividades.

 Elas merecem

 Todas as mulheres merecem homenagens todos os dias. Afinal, elas são empresárias, mães, esposas, chefes, conselheiras, confidentes, cristãs ativas, participam, e muitas vezes coordenam, trabalhos sociais, como Ongs. Muitas têm muito mais do que uma tripla jornada. E o melhor, dão conta do recado e não reclamam. São fortes, guerreiras e, hoje, só não consegue concorrer com os homens na força física, porque, na interior, dão show. E é para mulheres como estas que o jornal Agora preparou uma celebração especial para esta tarde. Um pouco da história delas está na edição de hoje. O restante, deste encontro que promete emoções, estará disponível em nossas redes sociais, no início da noite e no fim de semana por meio de reportagens e vídeos.

 

Comentários
×