Não acabou

Não acabou

 

A confusão envolvendo o vice-prefeito Rinaldo Valério (DC), o vereador Eduardo Print. Jr. (SD) e assessores do também vereador Sargento Elton (Patriota) parece estar longe de um desfecho. Cada um já deu suas explicações sobre o ocorrido e até o Ministério Público já foi acionado, mas uma peça não se encaixa neste jogo. Bochicho por todo lado é que não falta, mas falta um esclarecimento mais convincente para a população. Quem sabe, pelo menos na Câmara, na reunião de hoje, não surja algo mais claro. Aguardemos.

 

Mais um

 

Outro secretário vai deixar o Governo Zema (Novo). O chefe da pasta de Desenvolvimento Econômico, Manoel Vítor de Mendonça, pediu desligamento do cargo que exerce alegando motivos pessoais. O secretário fica no cargo até que seu substituto seja escolhido, o que deve ocorrer nas próximas semanas. Logo agora que Manoel Vítor tornou-se amigo e conselheiro do governador. Definitivamente, quem tem o juízo no lugar está fugido da política.

 

Adiada

 

A manifestação dos servidores da segurança pública – policiais militares e civis, bombeiros, agentes penitenciários e do sistema socioeducativo – que estava marcada para esta quinta-feira, 19, foi adiada depois que o governo de Minas começou uma nova negociação com entidades e deputados. Os profissionais pedem a reposição dos salários dos últimos quatro anos, com reajuste de 28,8%. Os trabalhadores rejeitaram a primeira proposta do governo na última segunda-feira, 16, em ato na Cidade Administrativa. Uma nova reunião com o secretário de Estado de Planejamento e Gestão, Otto Levy, foi agendada para 7 de outubro, porém não há data prevista para nova manifestação. O que está pegando é a divisão do reajuste em quatro parcelas e a primeira só em 2020.

 

Novo tour

 

Enquanto pelo menos quatro vereadores denunciam que no Complexo de Saúde São João de Deus (CSSJD) há prioridades, deixando de lado os pacientes do SUS, a superintendente Elis Regina e o assessor geral da unidade, André Waller, estão em Brasília visitando os gabinetes dos deputados federais. O objetivo é novamente buscar recursos financeiros para contribuir com a sustentabilidade do Complexo de Saúde. Até agora, os visitados foram o deputado Fabiano Tolentino e Newton Cardoso Jr. Ambos firmaram compromisso com o hospital. As visitas seguem até hoje. Os pacientes do sistema público agradecem. Afinal, uma cidade deste tamanho tem briga política, excesso de ego, dinheiro para tudo, menos para um local que acolha estas pessoas com dignidade.

 

Vai ter que pagar

 

Os “machões” que adoram agredir mulher vão ser duas vezes penalizados a partir de agora. Além de responderem na Justiça e, conforme o caso, ir parar em um presídio, terão também arcar com todos os custos do tratamento. Lei federal que entra em vigor em 45 dias determina a responsabilidade do agressor pelo ressarcimento de custos relacionados aos serviços de saúde prestados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) às vítimas de violência doméstica e familiar. Do jeito que a coisa está, acho que nem doendo no bolso.

 

Unidades de saúde

 

O projeto foi aprovado em 21 do mês passado pela Câmara dos Deputados e prevê “que o agressor que, por ação ou omissão, causar lesão, violência física, sexual ou psicológica e dano moral ou patrimonial à mulher será obrigado a ressarcir todos os danos causados. O dinheiro deverá ir para as unidades de saúde que prestarem os serviços. No papel, a lei é perfeita, mas é preciso fazê-la funcionar.

 

Assustador

 

O Brasil registrou 180 casos de estupro e 720 agressões em contexto de violência doméstica por dia no ano passado, segundo dados divulgados pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Os números de estupro são os maiores desde 2009. Crianças e adolescentes são a maior parte das vítimas. Dura realidade constatada todos os dias nos noticiários.

 

Na contramão

 

Pelo menos neste quesito, Divinópolis tem motivos para comemorar. A estatística está em queda livre desde o fim de 2016. Prova disso é que não se registra um feminicídio na cidade há dois anos. E que continue assim. Nossas mulheres agradecem.

 

Comentários
×