Na Cidade Administrativa, servidores do Estado protestam contra atraso do salário

 

Da Redação

Os servidores do Estado protestaram ontem, 29, contra o atraso de seus salários. Aos gritos, o grupo cobrou o ordenado dentro da Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag), no prédio Gerais. Os servidores cruzaram os braços e pediram isonomia no pagamento dos salários. De acordo com a escala do embolso do executivo Estadual, os servidores da Segurança Pública e da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig), com salário até R$ 3 mil, seriam pagos integralmente no dia 16 de agosto. Para os demais servidores com salários acima de R$ 3 mil, seriam depositados R$ 1,5 mil; porém o Governo do Estado adiantou o pagamento e alguns servidores receberam no dia 14, já outros foram pagos no dia 15.

Ainda conforme a escala de pagamento, o restante do salário para quem recebe até R$ 3 mil, e a 2ª parcela, para quem recebe acima de R$ 3 mil, seria paga na segunda-feira, 27, mas o Estado não cumpriu com o prometido. Até ontem, boa parte dos servidores ativos e inativos ainda estavam sem receber o restante dos seus ordenados. A escala previa o pagamento da 1ª parcela no dia 16 de agosto, a 2ª no dia 27, e a 3ª amanhã.

Os servidores gritavam “Só saio daqui quando (o salário) cair” no prédio e, diante da pressão dos funcionários, o assessor de relações institucionais do governo com os sindicatos, Carlos Calazans tentou apaziguar a situação afirmando que o restante dos salários seria pagos ainda ontem na conta dos ativos e até amanhã na dos inativos. Conforme informou Calazans, a questão da isonomia será discutida e os próximos pagamentos serão definidos junto de uma comissão instituída pelo governador Fernando Pimentel (PT) na semana passada.

De acordo com o secretário de planejamento e gestão, Helvécio Magalhães, todo o dinheiro já havia ido para o banco na manhã de ontem e, com isso, a folha de pagamento dos servidores ativos seria paga até o final do dia.

— Quanto aos inativos, completamos o pagamento amanhã (quinta-feira) e, se sobrar alguém, na sexta-feira – afirmou.

Ipsemg

Os servidores do Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais (IPSEMG) prometem começar uma greve em todo o estado a partir de hoje devido ao não pagamento da 2ª parcela do salário do mês de julho. A categoria informou que já estava em estado de greve desde maio, por causa dos constantes atrasos e a discriminação do governo estadual no tratamento diferenciado dado a algumas categorias.

Comentários
×