Mutirão elimina mais de duas toneladas de resíduos na região Sudeste

Segundo o relatório, a taxa de infestação no município é de 7,52%, o que significa alto risco de epidemia de dengue

Da Redação

Para prevenir a dengue, a zika e a chikungunya, a Prefeitura de Divinópolis realizou esforço conjunto de limpeza no sábado, 12, nos bairros Interlagos, Maria Helena e Mangabeiras, onde recolheu 2,24 toneladas de inservíveis ‒ material inútil capaz de estancar água ‒ que podem tornar-se criadouros para Aedes aegypti.

A iniciativa é da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa). Antes do mutirão, a Vigilância Ambiental visitou os moradores regionais para informá-los por carro de som sobre o descarte correto dos resíduos sólidos domésticos ‒ estes foram acondicionados em sacos plásticos e colocados na calçada logo pela manhã para que pudessem ser transportados em caminhão.

— De fato, o momento é extremamente oportuno para que os moradores sigam trabalhando para limpar e eliminar potenciais reservatórios do mosquito nas casas e nos lotes vagos — disse Juliano Cunha, supervisor-geral de Vigilância Ambiental, sobre o último Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa) divulgado pela Semusa.

“Só assim e com a colaboração das comunidades locais, poderemos controlar as enfermidades", acrescentou.

O LIRAa realizado entre 8 e 12 de março apresentou alto risco de propagação de mosquitos portadores de arbovírus. Durante o estudo, 4.916 imóveis foram visitados em 165 bairros; e, segundo o relatório, a taxa de infestação no município é de 7,52%, o que significa alto risco de epidemia de dengue ‒ 91% dos focos ocorrem nas residências; e 9%, nos terrenos baldios.

Posteriormente, o mutirão de limpeza será expandido às regiões municipais que apresentaram classificação mais elevada.

Comentários
×