Museu das Minas e do Metal anuncia programação gratuita e virtual do mês de março

 

Da Redação

Dando sequência com a programação cultural diversa – totalmente virtual devido à pandemia de covid-19 –, o Museu das Minas e do Metal, situado em Belo Horizonte, anunciou as atrações para o mês de março. Para este mês, o Educativo do Museu traz como grande novidade a série Prisma Mineral. A atividade inédita tem como proposta apresentar as múltiplas facetas de alguns minerais que compõem o acervo do Museu, ressignificando o olhar para o mineral a partir de sua inserção no espaço expositivo e, consequentemente, no discurso museal que o predomina.

Assim, o Educativo propõe uma atividade de questionamento e confrontamento dos minerais que, a cada mês, terá uma cor do círculo cromático guiando a escolha dos minerais participantes. Em março, a cor rosa tomará conta deste recorte com a presença dos minerais Eritrita, Rodocrosita e Rodonita, que apresentam a predominância da respectiva coloração.

Ainda dentro do recorte Educativo, as Visitas Virtuais Mediadas – ofertadas desde novembro de 2020, como solução ao fechamento do museu –, seguem normalmente às quartas, quintas e sextas-feiras. No mês de março, serão três roteiros diferentes: “Diversidade Mineral”, que apresenta parte do acervo mineral do Museu, “O Prédio Rosa: patrimônio, memória e arquitetura”, que revela as belezas arquitetônicas de um edifício histórico de 1897 e “Cristais do Tempo”, um convite a uma caminhada pelos espaços e tempos das obras presentes no Museu, que compõem a segunda edição da Exposição CoMciência. As visitas virtuais mediadas são realizadas sempre às quartas-feiras (em dois horários: 10h30 e 14h30) e quintas e sextas, em horário único (14h30), com duração média de 50 minutos e tradução simultânea em Libras.

Fechando as atividades educativas, o Minuto Libras – uma iniciativa que tem o compromisso de promover a democratização e divulgação científica com acessibilidade – terá neste ano a participação de pessoas surdas atuantes na produção científica e artística. Com temáticas mensais e periodicidade semanal, pretende-se reconhecer e dar visibilidade ao protagonismo de pessoas surdas e suas contribuições para as ciências, além de inspirar o caminho de muitos outros surdos e surdas. Em março, a série apresenta a pesquisadora e ilustradora botânica Regina Hughes e alguns sinais relacionados à ciência e arte.  

Atividades culturais

Dentro do recorte de ações culturais do MM Gerdau para março, o espaço promove na quinta-feira, 4, às 19h, um bate-papo com a participação do Grupo Africanidades BH – um coletivo que propõe reflexões sobre a diáspora negra. Realizando o encontro virtualmente, por meio de uma transmissão ao vivo no Youtube do MM Gerdau (https://www.youtube.com/user/MuseuMinasMetal), a conversa debaterá a relação entre a população afro-brasileira e a cidade, a arquitetura, o design e a ocupação urbana. A conversa contará com a participação da professora doutora Josemeire Alves Pereira, de Lisandra Mara Silva (arquiteta da Urbel e mestra em Arquitetura e Urbanismo), Natália Alves da Silva (jornalista e doutoranda em Planejamento Urbano e Regional) e do professor doutor Cristiano Cezarino Rodrigues.

Outra atividade cultural de destaque será o bate-papo entre o fotógrafo Fernando Piancastelli e Luiz Ribeiro (jornalista e coordenador de Comunicação do Comitê CBH Rio das Velhas), focado na discussão a respeito do registro fotográfico feito por Piancastelli no rio Samburá. O encontro tem como objetivo ecoar e ressoar o Dia Mundial da Água – instituído pela ONU em 22 de março – e as consequentes discussões a respeito da conscientização a respeito do uso responsável da água, assim como da conservação e desenvolvimento de recursos hídricos. O debate sobre as águas deve estar presente nas interseções de nosso dia a dia, nas perspectivas científicas, tecnológicas e artísticas e é por isso que o Museu traz uma viagem fotográfica ao rio Samburá, na quinta-feira, 11, às 19h, por meio de uma live no Youtube: https://www.youtube.com/user/MuseuMinasMetal.

Na semana seguinte, na quinta-feira, 18, no mesmo horário, o Museu recebe Ciranda de Morais, fundadora da She’s Tech, que compartilhará uma conversa rica de experiências ao longo dos 4 anos de projeto, que tem fortalecido a presença feminina na tecnologia por meio do engajamento e da capacitação de mulheres no segmento. O encontro marca, também, o lançamento das ações da She’s Tech para o ano de 2021.

A última quinta-feira do mês ainda reserva uma atração muito especial: a reabertura do Terraço do MM Gerdau. No dia 25 de março, também às 19h, a transmissão ao vivo no Youtube do MM Gerdau será realizada do imponente terraço do Prédio Rosa, recebendo o DJ Alexandre de Sena e a sua Radiola Picumãh, para uma noite de muita música boa: https://www.youtube.com/user/MuseuMinasMetal.

Experimenta 60

A programação de março engloba, ainda, uma importante ação do MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal: o Experimenta 60, projeto realizado por meio do Fundo Municipal do Idoso (Fumid – CMI), que tem como objetivo promover a saúde, o bem-estar e a socialização de pessoas idosas por meio da cultura.

Neste mês de março, o “Experimenta 60” expande a oferta de intervenções culturais, artísticas e educativas para a população 60+ de Belo Horizonte por meio de novas oficinas. São elas: CINE60, MÚSICA60, TEATRO60, CORPO60 e CANTO60, AUTOCONHECIMENTO60, DANÇA60 e CORAL60.

Comentários
×