Município fecha 2019 com corte de 235 vagas formais

Pablo Santos

Depois de dois anos, Divinópolis voltou a amargar fechamento de vagas formais de emprego em 2019. Números confirmam o corte de 235 oportunidades com carteira assinada no ano passado, com destaque para indústria da transformação e a construção civil.

De acordo com os dados do Ministério da Economia, foram contratadas, no ano passado em Divinópolis, 24.757 pessoas com carteira assinada, e demitidas 24.992, ou seja, eliminação de 235 postos de trabalho.

Somente em dezembro foram 601 vagas encerradas, o que é o resultado de 1.444 contratações e 2.131 demissões, apontou o levantamento.

O setor com maior saldo negativo foi a indústria da transformação. Conforme os dados, as empresas da cidade encerraram os contratos de 5.664 trabalhadores e admitiram 5.416, o que significa 248 vagas encerradas no ano passado no segmento.

A construção civil também registrou forte número de vagas eliminadas: 234. O resultado se deve às 1.711 admissões e às 1.945 demissões.

O comércio fechou 2019 com resultado também negativo. De acordo com os dados, foram 69 vagas encerradas.

A cidade chegou a abrir, no ano passado, 832 oportunidades formais de trabalho e, no ano anterior, outras 501. Já em 2016, o resultado foi negativo. Segundo os números do Ministério do Trabalho, a cidade encerrou 1.080 vagas formais. 

Brasil

O Brasil criou 644.079 empregos com carteira assinada em 2019. O número resulta da diferença entre as contratações, que totalizaram 16.197.094 no último ano, e as demissões – que chegaram a 15.553.015.

Este foi o segundo ano seguido de geração de vagas formais e, também, o melhor resultado desde 2013 – quando foram criados 1,117 milhão de empregos com carteira assinada.

O setor de serviços registrou o maior saldo positivo no ano. Foram contabilizadas 6.966.824 admissões e 6.584.299 desligamentos, ou seja, 382.525 postos a mais.

 

Na sequência, aparece o comércio, com 3.996.673 admissões e 3.851.198 desligamentos, com um saldo positivo de 145.475 vagas.

Depois, vem o setor de construção civil com 1.461.022 admissões e 1.389.907 desligamentos, o que resultou em 71.115 novos postos.

Coment√°rios
×