Muitos querem ver o circo pegar fogo!

Batendo Bola

José Carlos de Oliveira 

jcqueroviver@hotmail.com.br

 

Parece que a onda do politicamente correto chegou de vez ao futebol. A pessoa já não pode nem abrir a boca para externar seu pensamento, sua confiança em si mesmo e no futuro, que vem de lá uma meia dúzia de “sem noção”, de “aloprados mesmo”, para deitar falação e reverter suas palavras.

Tentam, de todas as formas, transformarem simples palavras em graves ofensas. Agem como se ninguém tivesse mais o direito de ter os próprios pensamentos e confiança no futuro.

É muito para mim... 

Romero crucificado 

Em entrevista em festa de lançamento de uma nova modalidade do programa de sócios torcedores do Cruzeiro, o volante argentino brincou com o fato de não querer ir ao dentista no dia 28, uma quinta-feira logo após a decisão da Copa do Brasil contra o Flamengo, porque naquela data vai querer é estar comemorando a conquista do penta da competição nacional.

Foi o bastante! A turma que gosta de colocar lenha na fogueira aprontou mais uma das suas. Com minhocas na cabeça, espalharam aos ventos, à sua maneira, que o volante da Raposa estava era provocando os flamenguistas, que ele estava achando que o Cruzeiro já ganhou, já é campeão.

Bando de idiotas. Se uma pessoa não pode ter confiança em si mesma e no seu sucesso, quem terá então?

Chega de mi-mi-mi 

Vamos parar por aí. O mundo está ficando perigoso e sem graça deste jeito. A bem pouco tempo atrás tínhamos por aqui até artilheiros, grandes jogadores do futebol brasileiro, que davam nomes aos gols, que gostavam de provocar os rivais, e nem por isso eram tratados como inimigos.

Chega de muita choradeira, de muito mi-mi-mi. A hora que o homem deixar de ser ele mesmo apenas para agradar aos outros será o princípio do fim. Nada mais que isto!

Responsabilidade da mídia

A verdade é que grande parte da culpa por este estado de “idiotices” que tomaram conta da mente e do coração de muitos brasileiros, é da imprensa mesmo, dos formadores de opinião que estão mais preocupados em ter audiência e subir no ibope, em vez de informar o certo e olhar para o lado positivo das coisas e das palavras.

E é isso que mancha e machuca a alma. Hoje, falar que alguém é bonito, que está no caminho certo, que é exemplo, não conta pontos para ninguém. Para este pessoal, a máxima é de quanto pior, melhor!

MANGUEIRAS BRASIL

No futebol está ficando perigoso 

Vejam só a que ponto chegamos! Esta semana mesmo, a jornalista Renata Fan, torcedora assumida do Internacional de Porto Alegre, caiu na asneira e dar sua opinião (que é idêntica à da infinita maioria dos brasileiros) de que Jô perdeu uma excelente oportunidade de fazer o certo, de ser espelho e não vidraça.

Ao comparar Jô a um ladrão, ela não fez nada demais. Apenas externou a opinião da maioria. Porque é assim que muitos nos sentimos hoje. Jô nos roubou sim, nos roubou a esperança de que algo novo estava nascendo.

Não assumindo o próprio erro ele não fez nada ilegal é certo, mas foi sim imoral. E foi ele, o próprio Jô quem se colocou nesta esparrela. Tivesse ficado calado em episódios anteriores (leiam casos Rodrigo Caio e expulsão do volante Gabriel), nada disso estaria acontecendo.

Ora bolas, “Pau que bate em Xico bate também em Francisco”. Porque quando os beneficiados são ele (o Jô) e o Corinthians, a decisão serve de exemplo e agora, não? Vamos parar por aí...

Renata Fan ameaçada de morte 

E o pior é que eles mostram agora quem realmente são. Ameaçar a jornalista de morte foi o fim da picada. Vamos parar por aí. Quem quer ser respeitado, que comece por se dar ao respeito... Não gostou, vai chorar na cama, que é melhor!

Comentários