Muito difícil

 

O prefeito Galileu Machado (MDB) já engatilhou a sua reforma administrativa que vem num momento de alta complexidade. Sem dinheiro e sem cacife na Câmara Municipal, pode ter problema para a aprovação. Os vereadores de oposição vão rechear a lei de propostas, enquanto os de situação irão tentar que a proposta passe sem problemas. Não se vislumbra um bom desfecho, mesmo porque toda reforma vem “com boas intenções” que têm que ser olhadas com lupas gigantes, pois normalmente o gestor de plantão faz proposta para agradar a si, e aos seus apaniguados.

Mas isto ficará... 

...por conta de Delano (MDB) e Cleitinho (PPS), ambos sem papas na língua e o que vislumbram como desacertos “jogam para o ventilador”. Reforma que não prevê cortes orçamentários e de pessoal, nem pode ser considerada. Mudar por mudar, melhor deixar como está, pois alguns governos passaram por reformas que nunca deram certo. Assim, o “macio e inteligente” Marcos Vinicius (Pros) terá motivos para bons discursos, enquanto uma certa patuleia apenas assina o quem vem de cima. A política é assim mesmo: manda quem pode, obedece quem não tem opção.

Mas enquanto...

 ...a política em Divinópolis continua no “vai da valsa”, o bicho continua pegando pelo país afora. Ontem foi a vez de Garotinho e sua mulher serem acusados de receber mais de R$ 30 milhões para campanha eleitoral. Enquanto isso, um prefeito de uma pequena cidade do Nordeste conseguiu roubar, “ou amealhar”, mais de R$ 5 milhões, enquanto o povo continua sem uma creche sequer, nenhuma reforma foi feita nas escolas, não existem médicos e... nem dinheiro para nada. Mágico ele não é, mas os R$ 5 milhões desapareceram. Agora está foragido. Será que valeu a pena?

 Aliás...

 ...é quase impossível encontrar um político de segundo mandato que não tenha melhorado de vida. Começa com um patrimônio tipo casinha e um carrinho de segunda mão, para em quatro anos, ganhando um salário mixo, mudar para um casão de dois pavimentos, piscina etc, e algum carrão zero na garagem. É um mistério que somente eles poderiam explicar, mas que, quando apertados pelo MP ou a Federal, preferem o silêncio. Depois, o rombo é descoberto, e olha que isto acontece todos os dias. E, para variar, não para de repetir também todos os dias. Esse negócio de Lava Jato, a não ser para os mandões de Brasília, os governadores e prefeitos de grandes cidades, ainda não chegou ao interior bravo do país. Mas uma hora o cara acaba sendo pego.

Já em Divinópolis...

 ...existe um papo sério de um candidato a deputado que está devendo a bancos e alguns amigos agiotas, uma quantia bem alta, cerca de R$ 2 milhões. Por questões éticas e por absoluta falta de provas, não direi o seu nome, mas, se ele perder as eleições, em novembro a cidade vai levar um grande susto. Trata-se de uma dívida, pelo que se sabe, praticamente impagável, a não ser que se venda imóveis, fazenda etc. Esse não foi picado pela mosca da desonestidade e investiu tudo nele mesmo. Não se sabe é o porquê de continuar se endividando...

Comentários
×