Mudei meus medos

Quando criança, nascemos isentos de medo e sem noção dos perigos.

Conforme vamos crescendo e situações nos são apresentadas vamos descobrindo o temor de algumas coisas.

Para uma criança de 3 anos um sapo e uma cobra são apenas bichos que ela pode ter repulsa a primeira vista, mas pode querer ter contato passado o susto. Com a supervisão de um adulto que começa a instruí-la sobre o quão feio pode ser um sapo e do quão perigosa é uma cobra, ela já toma nota disso e começa a evitar esses bichos; com 7 anos, ela não se arrisca mais e começa a evitar esses bichos.

E assim começa os medos e fobias.

E ao longo da vida, adultos vão ensinando os perigos e mazelas da vida e historias da carochinha, também usadas quando se tem um pouco de desobediência.

Tipo: Se você continuar ficar na rua, o homem do saco vai te pegar, se não comer verduras vai ficar feio, se falar mentiras seu nariz vai crescer, e por aí vai.

E assim, nós adultos temos nossos medos criados, não como os da criança, um pouco mais complexo.

Já não temos mais medo do escuro mais da solidão.

Já não temos medo dos bichos, mas de pessoas.

Já não temos medo dos mortos, mas dos vivos.

Já não temos medo de crescer e sim de morrer.

A gente já não olha tanto para o futuro, e sim, para passado com nostalgia.

Passamos a ter medo de derrotas e de fracassos.

Já não brincamos mais, trocamos isso por levar uma vida a sério e, com isso, deixamos de perceber que a felicidade mora nos detalhes.

Receita

 MEDALHÃO DE MANDIOCA

 INGREDIENTES:

MANDIOCA

BACON

PALITO

ÓLEO

 Preparo:

Cozinha a mandioca e reserve

Fatie bacons bem fininhos.

Enrole as fatias na mandioca e prenda com o palito.

Frite em seguida em óleo quente.

Comentários
×