Motoristas desrespeitam vagas especiais em Divinópolis

Rafael Camargos 

Bastou dar uma volta de carro pelo Centro de Divinópolis, ontem, 1º, para ver a dificuldade enfrentada diariamente por Jaian Souza, de 33, anos para estacionar nas vagas destinadas para deficientes. Um problema que ainda deve ser encarado por outras pessoas com algum tipo de deficiência. 
Das sete vagas disponíveis entre a avenida 1º de Junho, rua Pernambuco, avenida Getúlio Vargas, rua Goiás, e avenida Antônio Olímpio de Morais, apenas dois veículos estavam estacionados corretamente. Duas das vagas estavam desocupadas, e o restante, ocupadas por veículos não adaptados. Um fato que chama atenção é que poucas vagas estavam com o adesivo no asfalto, sem sinalização.  

Ao Agora, Jaian conta que a cerca de um mês foi multado pela Secretária Municipal de Trânsito e Transportes (Settrans) por estacionar na vaga destinada aos idosos, que fica na avenida Antônio Olímpio de Morais, mas ele não teve outra opção. A vaga destinada para ele estava ocupada por uma caminhonete que não era credenciada.  

— Estacionei na vaga disponível, próximo a farmácia da Unimed, mas ela já estava ocupada. Dei a volta no quarteirão, e parei na vaga para idosos, como eu só ia pegar o meu almoço, não vi problemas. Não demorou nem dois minutos, veio o agene da Settrans e multou meu carro. Eu tentei argumentar, falando com ele que minha vaga estava ocupada, mas ele não quis nem conversa. Se minha vaga não tivesse ocupada eu não tinha parado em lugar irregular — comentou. 

Ele afirmou que o guarda da Settrans não multou o motorista que estacionou a caminhonete na vaga inapropriada e que ainda foi até a Secretaria para tentar resolver o problema de forma pacífica, porém não foi bem tratado.  

— Entrei com o recurso, e conversei com eles, mas o recurso foi negado. A gente é tratado como se não fosse nada — frisou. 

Número de vagas 

Jaian Souza ainda questionou a quantidade de vagas disponíveis na cidade. Segundo ele, geralmente cada quadra tem uma vaga disponível, mas o ideal seria no mínimo duas.  

— São poucas as vagas destinadas. Eu ainda consigo me locomover, mas têm pessoas com casos mais complicados que não conseguem — afirmou.  

Prefeitura 

De acordo com o gerente de Projetos de Trânsito e Transportes, Lucas Lopes, Divinópolis tem atualmente 45 vagas para idosos e 46 para deficientes. Ele explica que o número ainda é baixo e que até o fim do ano a idéia é o número chegar a 50 nas duas modalidades.  

— Este não é o número que deveria ter. Pretendemos aumentar e reforçar a sinalização destas vagas, e também fazer a revitalização das vagas existentes. Para o ano que vem pretendemos aumentar este número — explicou. 

Segundo o gerente de Operação e Fiscalização da Secretaria, Cleiton José de Sousa, este ano já foram emitidas 436 credenciais para idosos e 56 para deficientes. Na cidade hoje, a Settrans tem cadastrados 3.420 idosos e 494 deficientes.  

Cleiton explica que segundo a legislação 5% das vagas devem ser destinadas aos idosos e apenas 2% aos deficientes.  

— Só que este número é impossível de se fazer, se eu for considerar só a área central de rotativo esse número é deficiente. Se for seguir a legislação é insuficiente — falou. 

Quando questionado sobre o trabalho de fiscalização destas vagas, o gerente disse que o trabalho existe e é grande. Segundo ele, de janeiro a outubro, foram recebidas 595 denúncias informando denúncias de estacionamento em vagas irregulares. O número vale para idosos e deficientes. Destas denúncias os agentes notificaram 314 motoristas por estacionar em vagas de idoso e 281 em vagas de deficientes.  

— Existe uma fiscalização ferrenha, mas às vezes as pessoas sabem que estão estacionadas em local errado e saem. Já tivemos casos de pessoas que estacionaram e ao ver o agente se aproximar saiu mancando sem ter nenhum problema na perna. Claro que eles foram notificados — finalizou. 

Comentários
×