Morre Zé Eustáquio, jogador do Guarani nos anos 70

‘Zé do Inter’ trabalhou durante anos no Jornal Agora, como ‘paginador’

José Carlos de Oliveira

Foi sepultado na tarde deste sábado no cemitério Parque da Colina, no bairro Jusa Fonseca, o corpo de José Eustáquio Monteiro, que na década de 70 foi atacante e artilheiro do Guarani. Ele morreu pela manhã vítima de problemas médicos.

Zé jogou profissionalmente por vários anos no Guarani e depois no futebol amador, defendendo durante mais de uma década a camisa do Inter da Vila Belo Horizonte. No final da década de 70, início de 80, Zé trabalhou nas oficinas gráficas do Jornal Agora, como ‘paginador’.

Trajetória

José Eustáquio Monteiro, o ‘Zé do Nélson’, o ‘Zé do Inter da Vila’, o ‘Zé do Amigos da Bola’, o ‘Zé do

Jornal’, o ‘Zé do Buteco’. É assim que seus amigos o conheceram ao longo de décadas. No futebol foi campeão por onde passou. No jornal e no buteco colecionou amigos. Artilheiro nato, homem de área e de infinitos gols. Bom com os dois pés e também na cabeça, apesar da baixa estatura.

Foi assim que o Zé passou seus anos na terra. Certa vez, ainda menino, quando jogava nos juniores do Guarani, após um exibição de gala contra o Santos foi chamado para jogar no time de Pelé. Não quis.

Não queria abandonar os pais. Escolha acertada, porque nessa vida não se leva nada e o carinho dos familiares vale mais que mil gols. É mais que a fama. Continuou fazendo gols pelo o Inter da Vila Belo Horizonte, colecionando troféus de artilheiro, títulos e vivendo feliz entre seus familiares e amigos.

Zé Eustáquio encerrou sua trajetória de artilheiro no ‘Amigos da Bola’, na Toca do Tamanduá, onde também foi goleador.

Agora fica a história, a lenda e aquele gol marcado na vitória do Guarani por 1 a 0, frente o Nacional de Muriaé, o gol da classificação bugrina no campeonato mineiro dos anos 70.

(Com David Raposo)

Comentários
×