Morre o homem, fica o seu legado

V√≠tima de covid-19, Zelito morreu na √ļltima quinta-feira

José Carlos de Oliveira

A região Centro-Oeste, o futebol de Carmo do Cajuru, de Divinópolis, e de toda Minas Gerais, está de luto e rende suas homenagens a Zelito, que morreu na última quinta-feira, vítima do covid-19.

José Marques Teixeira, o conhecido Zelito, nasceu em Carmo do Cajuru, mas começou sua história no futebol de salão defendendo as cores do Estrela do Oeste Clube.

Carreira vitoriosa

Zelito deixa um grande legado para o esporte divinopolitano, mineiro e nacional. Dono de vários títulos e conquistas em território brasileiro e também em sua vitoriosa carreira internacional. Aposentado do esporte dedicava-se, em seus últimos dias de vida, ao ramo movelheiro, na sua cidade natal, como jovem empresário.

Zelito começou jogando futebol de campo, defendendo o Tupi, de Carmo de Cajuru, ao lado de nomes como Taquinho, Toninho e muitos outros, que fizeram fama em Cajuru. Mas foi trabalhando como caixa do Banco do Estado de Minas Gerais, o extinto Bemge, que ele teve suas raízes firmadas no futebol de salão, que mais tarde se transformaria no futsal de hoje.

Com iniciativa do gerente Pedra, o Bemge montou um time de futebol de salão para representar o estabelecimento na disputa da Copa Açoeste, aqui em

Divinópolis, na década de 90, e contratou para comandar a equipe o que havia de melhor na cidade: o técnico Hélio Justo Dias.

Hélio montou um elenco forte, com o goleiro Ramon, Ronaldo Gontijo, Elverson, Zé Arnaldo, Rodrigo Cabeção e viu em Zelito um talento nato.

Realmente Hélio Justo estava coberto de razão, porque Zelito seria o maior nome do futsal mineiro e do mundo inteiro. Com o sucesso do Bemge, Celinho, da Mobiliadora Líder, cobriu todas as propostas e levou Zelito novamente para Carmo do Cajuru para disputar a Copa Manejo, em nome da sua empresa, três vezes campeã da competição sob o comando de Zelito, um fixo diferenciado, que tanto defendia quanto atacava. Driblava e também marcava gols. Líder absoluto em quadra, capitão da equipe e de uma disciplina exemplar.

Campeão pelo Estrela

Não tardou muito para o Padre Moacir Chagas Tavares, técnico do Estrela, o recomendar ao Zé Alonso para a disputa do Campeonato Mineiro e metropolitano. Negociação feita e sob o comando de Zelito, o Estrela do

Oeste se transformou no maior nome do futsal mineiro, suplantando até mesmo equipes famosas como o Minas Tênis Clube, Olímpico, Recreativo e tantos outros. Com Zelitro, o Estrela ganhou tudo. Foi campeão mineiro, do interior e metropolitano.

No exterior

Descoberto para o mundo Zelito, foi fazer fama no futebol da Europa. Começou jogando na Espanha no futebol cinco, introduzindo em seguida o futsal naquele país, onde hoje é o maior da Europa e campeão mundial, com vários times e também com a seleção espanhola.

Com a vida feita no futebol, Zelito voltou às suas origens, retornando a Carmo do Cajuru, onde iniciou em sua outra missão, a de empresário, até o dia 12 de agosto último, quando se despediu dos amigos e da bola, mas a bola nunca o abandonou, deixando para o mundo a sua lição, a sua marca, seu grande exemplo, seu legado e seu talento incomparável.

Foi-se o homem, o jogador de futebol, o empresário, o amigo, mas fica para todo o sempre a sua marca aqui pela terra das Minas Gerais. A ele, resta-nos agradecer pela alegria de o termos conhecido e visto jogar.

(Com Davi Raposo)

Coment√°rios
×