Morre Célio de Oliveira Goulart, bispo de São João del-Rei, aos 73

Da Redação

A Diocese de Divinópolis divulgou nota na qual lamenta a morte de Célio de Oliveira Goulart, o dom Célio, bispo de São João del-Rei, aos 73 anos. Segundo as informações, ele morreu por volta das 2h desta sexta-feira, 19,  na Santa Casa de Misericórdia de São João del-Rei, onde estava internado desde o dia 26 de dezembro de 2016. Lutava contra um câncer desde dezembro de 2016.

— O velório será na catedral basílica de Nossa Senhora do Pilar. O corpo chegará à catedral às 7h. Dia 20, às 10h, na mesma igreja, será celebrada a missa de corpo presente, presidida pelo arcebispo metropolitano e concelebrada pelo clero diocesano e demais bispos e padres presentes — informou.

Logo após a missa, o caixão será levado a Itaúna, onde será velado na igreja Matriz de Sant’Ana. Dia 21, após missa na Matriz, será sepultado ás 10h. Conforme o desejo manifestado por familiares, dom Célio será sepultado em Itaúna, no jazigo da família, junto de seus pais.

Em nota, o arcebispo metropolitano de Juiz de Fora, Dom Gil Antônio Moreira, lamentou a morte de dom Célio.

— Aos seus familiares, à família franciscana, nossos sentidos e sinceros pêsames. Em meio à dor de sua partida, podemos dizer: acabou seu calvário. Requiescat in pace — declarou.

Vida e obra

Célio de Oliveira Goulart é natural de Piracema. Estudou filosofia no convento São Boaventura, em Daltro Filho (RS) e no convento Santa Maria dos Anjos, em Betim. Cursou teologia no convento Santo Antônio em Divinópolis e no Instituto de Teologia da Pontifícia Universidade Católica em Belo Horizonte (MG).

Em 12 de julho de 1969 foi ordenado padre pela Ordem dos Frades Menores (OFM). Em agosto de 1998 foi nomeado bispo da diocese de Leopoldina (MG) e adotou como lema "A cruz é a força de Deus".

Em 2003, foi transferido para a diocese de Cachoeiro do Itapemirim. De 2003 a 2007, foi presidente do Regional Leste 2 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) de Minas Gerais e Espírito Santo e membro do Conselho Permanente da CNBB.

 
Comentários
×