Mordaça

Absurda a nota de repúdio em desfavor do jornalista José Geraldo Passos, editor do blog Divinews. Claro que como defensora ferrenha do direito de ir e vir, do direito à livre manifestação do pensamento, não repudio a nota em si, afinal é livre manifestação. O que incomoda é que um documento que visa o efeito mordaça, que é um atentado à liberdade da imprensa, demonstrar claramente que um fez, com um conteúdo que nada tem a ver com os demais vereadores e estes simplesmente assinar. Subserviência?!

Divindades??!!

Imprensa livre é coisa séria! É requisito do Estado Democrático de Direito. Calar a imprensa é Estado de Exceção. É o primeiro passo para amordaçar o cidadão. Se aceitarmos passivamente, daqui a pouco o Legislativo municipal exigirá de nós, simples cidadãos, que sempre os elogiemos, mesmo que cometam abusos.  Teremos que tratá-los como divindades como já ocorre no Poder Judiciário, onde alguns juízes, felizmente minoria, se acham deuses e alguns têm certeza. Aliás, por falar em divindade, não poderia deixar de mencionar o ofício enviado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Marco Aurélio Mello, ao Tribunal Regional Eleitoral (TER) de Santa Catarina por ocasião de um convite para solenidade de homenagem ao ministro Jorge Mussi, do Superior Tribunal de Justiça (STJ). No ofício, o ministro declinava do convite feito por um integrante do cerimonial, pois segundo ele “integrante de cerimonial não se dirige diretamente a ministro do Supremo”. Afff!!!

Hospital São João de Deus

Hoje, às 9h, ocorrerá a prestação de contas da verba de R$ 2,2 milhões destinadas pelo deputado federal Domingos Sávio (PSDB) ao Complexo de Saúde São João de Deus (CSSJD). Graças a verbas como essas, o hospital tem conseguido atender cada vez mais à população carente, disponibilizando mais leitos, mais tratamento médico de primeira linha e tudo isso pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Quem critica a destinação de verbas públicas para o complexo hospitalar ama o cenário de guerra da Unidade de Pronto Atendimento (UPA). É preciso lembrar que levar seu enfermo internado na UPA para o São João de Deus é o desejo de 100% dos doentes e de seus familiares. É a vontade soberana do povo que as verbas públicas sejam destinadas para o Complexo. Vale dizer que a verba destinada ao hospital não faria nem cócegas para a finalização do Hospital Público Regional. Então, até que o hospital seja concluído, a salvação é o CSSJD. Aliás, em minha humilde e singela opinião, mesmo que o público esteja funcionando, o hospital continuará a ser necessário. Vida longa ao Hospital São João de Deus!

Lamentável

Por falar em enfermos da UPA, não poderia deixar de lamentar a atitude de alguns familiares que não têm o menor constrangimento em levar seu ente para a unidade muitas vezes sujo, imundo mesmo. Uma total falta de higiene no trato com a pessoa em casa. As principais vítimas são crianças e idosos.  Alguns idosos são lá deixados e sequer recebem visitas e mais, quando recebem alta a família (?!) reluta em levá-los para casa. É preciso ressaltar que muitos idosos só estão com seus familiares porque são arrimos de família e têm seu benefício previdenciário ou assistencial comprometido em empréstimos para ela. Só um recado para tais “famílias”: se o seu idoso foi alguém que antes molestou de algum modo a família, não são obrigados a tolerar mesmo não.  Leve para um asilo. Descontar é que não pode. Fica a dica!

Comentários
×