Momento de lucidez

Demorou, mas enfim Divinópolis viu uma articulação política que resultou no bem para a sociedade. Depois de uma novela que parecia não ter fim, Prefeitura e vendedores ambulantes com importante ajuda da Câmara chegaram a um acordo, que beneficiou ambas as partes. Em 8 de outubro, o Município notificou os comerciantes ambulantes a deixarem o local até 1º de dezembro, e pronto, a confusão estava armada. E, como sempre em Divinópolis tudo vira motivo de politicagem, teve muita gente, mas muita gente mesmo – incluindo vereadores e possíveis candidatos ao cargo – que quis se aproveitar da situação. Confusão para lá, confusão para cá, vídeo falando mal do prefeito para todos os lados, ações judiciais, mas tudo se resolveu na mais absoluta classe e sabedoria. Demorou, mas enfim Divinópolis teve o seu primeiro momento de lucidez política, de inteligência, e tudo se resolveu na mais absoluta paz.

Tudo foi costurado com uma elegância ímpar pelo vereador Eduardo Print Júnior (SD). O parlamentar, que não é muito adepto aos vídeos, aos discursos inflamados e é líder do governo na Câmara, deu uma aula para os seus colegas “populistas” de como legislar. É incontestável que, por ser líder do governo na Câmara, Print tem um trânsito maior nos corredores do Executivo, mas também é incontestável que situações como estas não são resolvidas com vídeos, gritos, berros e confusões. É necessária muita, mas muita calma nesta hora. E, no fim, foi a calma que ajudou a solucionar o impasse. De um lado, a Prefeitura estava com a “ordem de despejo” na mão; do outro, os vendedores com uma argumentação incontestável: “as vendas de Natal”. Como tirá-los do local, na época de maior venda do ano, só para executar o Plano de Mobilidade Urbana? Afinal, se já foi esperado até aqui, por que não aguardar só mais um mês? Ambos os lados irredutíveis, e a politicagem rolando solta, para “colocar mais lenha na fogueira”.

No fim, o diálogo prevaleceu, e os gritos foram calados pela elegância. Os vídeos populistas, discursos inflamados e as ações judiciais foram vencidos pela sabedoria, pelo planejamento. Porém, não só parte de Print, mas de toda sabedoria também da única mulher, mas que faz a diferença no Legislativo: A vereadora Janete Aparecida (PSD). A iniciativa da criação da Comissão Especial foi do presidente Rodrigo Kaboja (PSD), mas Janete articulou o tempo todo, com apoio dos demais integrantes da CE, Marcos Vínícius (Pros) e em princípio Edsom Sousa (sem partido), e depois Josafá Anderson (CDN). Pois é, talvez seja isso que Divinópolis precise: sabedoria e planejamento. Até hoje, tudo o que tentaram resolver no grito apenas empacou, não saiu do lugar. Alguns vereadores ainda não aprenderam que falar é uma coisa, mas a vida real é muito diferente da virtual. Lá, nas redes sociais, é só um monte de falação, de opinião, apenas uma “legião de imbecis”, “que antes falavam apenas em um bar e depois de uma taça de vinho, sem prejudicar a coletividade”, mas que hoje causam danos irreversíveis. Talvez este acordo costurado pelo vereador Print Júnior com o Executivo em prol dos vendedores ambulantes se torne exemplo para os outros parlamentares, assim como o pacto feito pelos deputados estaduais com o Governo do Estado pelo pagamento do 13º salário dos servidores.

Talvez, enfim, os parlamentares divinopolitanos aprendam de uma vez por todas que o que reeleição é sinônimo de trabalho. Vídeo é só vídeo, falação é só falação...

Comentários
×