Moda verde

Wagner Penna

O assunto moda verde tornou-se recorrente no noticiário fashion – sinalizando uma preocupação real com novos modos & meios de produzir vestido, sapato e bolsa + joias & afins. Obviamente que a principal preocupação é com o desperdício, a justiça social, a preservação ambiental e por aí afora.

Mas o lado comercial & financeiro também entra no jogo. No primeiro momento, tudo isso quer dizer aumentar custo, mas, na etapa seguinte, a iniciativa começa a gerar ganhos mais interessantes que os atuais. No faturamento indireto, conta muito a boa imagem das marcas.

Tudo isso significa que, mais cedo do que se pensa, o setor vai atrair robustos investimentos. Fazendo um paralelo com os outros setores produtivos, o princípio do ESG (governança social, corporativa e ambiental) já define a prioridade dos investidores nas empresas, via bolsas de valores. Isso indica que promover ações sociais ou evitar poluição na produção tornou-se mais importante que ter criatividade fashion. 

É assim que funciona o mercado e é assim que o futuro da moda vai sendo definido nessa fase (quase) pós-pandemia. 

VAIVÉM

* Um grupo de estilistas de Beagá vai oficializar a constituição de sua nova entidade, a A.Criem – Associação dos Criadores e Estilistas de Minas Gerais – em reunião no Sindivest-MG. No próximo dia 24. 

* A Semana de Moda de Nova York acontece entre 14 e 18 de fevereiro, isto é, reduzida a quatro dias. Mas tem novidade: terá dia de vendas da moda masculina e outro só para mostrar a moda de criadores negros. Outro detalhe é que apenas duas marcas farão desfiles presenciais – o restante só em vídeos. E mais: mitos pesos pesados da moda americana não participam dessa edição.

* O aplicativo Tik Tok não brinca em serviço. Vai realizar a segunda edição do Tik Tok Fashion Month durante as semanas de moda de Nova York , Londres, Milão e Paris – que se estendem dessa semana até o fim de março. Quem quiser ver tudo ao vivo só ir para as contas do app.

 PONTO FINAL.

 As pesquisas indicam que a moda no pós-covid-19 vai para as alturas. Segundo estudo da M Shahbandeh , o valor do mercado global de vestuário deve crescer de 1,5 trilhão de dólares em 2020 para cerca de 2,25 trilhões de dólares em 2025, mostrando que a procura por roupas e sapatos está crescendo. O aumento na demanda levou a indústria têxtil a adotar a automação, diminuir custos e entregar produtos de acordo com as preferências do cliente. Amém!

 

Comentários
×