Moda Social

BLOCO DE MODA

Wagner Penna 

MODA SOCIAL

 A nova pegada da moda está, inexoravelmente, ligada à responsabilidade social. O assunto já foi exposto aqui diversas vezes, mas seu crescimento exponencial, em pouquíssimo tempo, merece atenção constante de quem atua no circuito fashion.

 Para se ter uma ideia do tamanho do assunto, basta dizer que todas as marcas que aderiram a campanhas relativas à sustentabilidade ou realizaram ações que remetem a essa questão praticamente triplicaram seu faturamento. É que as novas gerações começam a ver isso como algo realmente sério – e não apenas uma ferramenta de marketing.

 Também as grandes redes de roupas (como Renner e Riachuelo) mergulharam na questão – principalmente promovendo o reuso de peças, por meio de compras de brechós conhecidos. No plano internacional, a mais recente grife de prestígio a entrar nesse circuito foi a Valentino – e de uma forma diferente. A marca italiana está incentivando a campanha em favor da vacinação da covid-19, lançando um moletom escrito Vaccinated. Como se sabe, isso é algo problemático em países pobres ou em grupos que contestam a eficácia da medida. Mas, na realidade, é uma prevenção que protege a todos.

 

VAIVÉM 

  • O jovem Vinicius Scaldini está se transformando em um dos mais atuantes empresários do entretenimento no Oeste de Minas. Com sua base localizada em Nova Serrana (mas já ampliando para outras cidades), lançou ali vários empreendimentos. Um dos mais bem sucedidos é o Cabana – Casa de Eventos, cuja movimentação está agitando o circuito bacana daquela cidade. Anexo ao espaço, há também atividades esportivas, restaurante e outras áreas de lazer. Vale a pena conferir.
  • O circuito internacional da moda continua sua viagem pelo chamado Circuito Helena Rubstein (Nova York, Londres, Milão e Paris) e já toma a direção da Itália. Antes disso, as grifes londrinas se apresentaram com seu espírito renovador e propondo a moda não-comercial que caracteriza aquele polo criativo. No fim do mês, tudo termina na França.
  • O Museu da Moda de Beagá (o único especializado no assunto, em todo o país, mantido por um órgão público ‒ no caso, a Prefeitura de BH) movimentou a semana com eventos ligados à 15ª Primavera dos Museus, debatendo sustentabilidade e inovação no setor fashion. Além do produtor Rodrigo Cezário, falou o expert Aldo Clécius. O tema das exposições, desta vez, foi “Museus: Perdas e Recomeços”.
  • PONTO FINAL. Uma das ferramentas que sempre diferenciou o varejo brasileiro do resto do mundo foi o crediário. Nos demais países, o parcelamento só era usado para compras caras – como imóveis. Pois, agora, a onda pegou os países ricos – onde os clientes estão parcelando suas compras de roupas & afins. Por lá chamam a operação de “buy now, pay later” (compre agora, pague depois) e representou 2,1% das transações no e-commerce global em 2020, segundo pesquisa da Worldpay. Algo em torno de 100 bilhões de dólares. A expectativa é saltar para 4,2% até 2024. 



Comentários
×