Missão difícil, mas não impossível

Batendo Bola

José Carlos de Oliveira 

jcqueroviver@hotmail.com.br

 

O Mineirão recebe um grande público esta noite, para o jogo de volta das quartas de final da Copa Libertadores 2018, entre Cruzeiro e Boca Juniors, da Argentina. A torcida comprou todos os ingressos e promete uma grande festa na Pampulha logo mais, quando o time estrelado tem que fazer uma diferença de três gols para seguir vivo na competição continental (triunfo por apenas dois gols leva o jogo para a emoção da disputa de pênaltis).

Tarefa difícil

A tarefa para o time do Mano Menezes não é das mais fáceis, esta é uma grande verdade, mas não é de todo impossível. E na própria história do clube, a sua torcida já viveu momentos semelhantes aos desta noite.

 Exemplo

 E motivos para acreditar numa virada, o torcedor celeste encontra na própria história da Raposa. No ano de 1991, quando conquistou a Supercopa dos campeões da Libertadores, o time estrelado viveu uma situação idêntica à desta noite.

Na partida de ida, da final do torneio, em Bueno Aires, no estádio Monumental de Nuñez, o time mineiro perdeu para o River Plate por 2 a 0 e precisava vencer o duelo de volta por uma diferença de três gols.

E foi justamente o que aconteceu na noite do dia 20 de novembro de 1991. Com gols do volante Ademir e do atacante Mário Tilico (duas vezes), o Cruzeiro fez 3 a 0 nos argentinos e conquistou a Supercopa dos campeões da Libertadores.

Acreditar, sempre 

A receita é simples. Resta a Mano e aos jogadores da Raposa fazerem a parte que lhes compete. A torcida já está fazendo a sua, e o Mineirão ficará pequeno para o duelo de hoje. Agora, o que o time azul tem que fazer é entrar em campo e mostrar apenas aquilo que sabe fazer, jogar bola. Se todos se empenharem pelo resultado, a virada deixará de ser um sonho para se tornar realidade. Acreditar, sempre, é a única receita.

 

MANGUEIRAS BRASIL

 

Fred comemora 35 anos

 

Hoje, o que o artilheiro Fred mais quer como presente de aniversário é a vitória do seu time sobre o Boca Juniors, de preferência com virada e classificação para as semifinais da Copa Libertadores 2018.

Recuperado recentemente de uma contusão, que o afastou dos gramados por mais de seis meses,

Frederico Chaves Guedes, ou simplesmente Fred, completa nesta quinta-feira 35 anos de idade.

Nascido em Teófilo Otoni, Fred iniciou sua carreira no América e depois foi negociado com o Cruzeiro. Apesar de não ter conquistado nenhum título na Raposa, chegou à incrível marca de 40 gols, em 43 partidas em apenas uma temporada e, por conta do seu destaque, foi negociado com o Lyon, da França.

 

Ídolo

 

Pelas redes sociais, as torcidas do Cruzeiro e do Fluminense, do Rio de Janeiro, onde o jogador é tratado como ídolo, felicitaram o artilheiro pela data.

 

Foto: Divulgação

 

Fred comemora hoje 35 anos

Comentários
×