Minas Veste Brasil movimenta mais de R$ 3 milhões

 

 

Da Redação

A 12ª edição do Minas Veste Brasil aconteceu em João Pessoa, na Paraíba, nos dias 5 e 6 de março, e superou a expectativa em volume de negócios. As 23 marcas do polo confeccionista de Divinópolis, que expuseram suas coleções outono/inverno 2020, venderam um total R$ 3.117.805,80, superando a meta do Sindicato da Indústria do Vestuário de Divinópolis (Sinvesd), que era de R$ 3 milhões. 

Uma realização do Sinvesd, em parceria com o Sebrae-MG e a Fiemg, o MVB acontece duas vezes ao ano, e pela 4ª vez tem a capital Paraibana como palco. Outra edição está prevista para o início de agosto. 

Mais de 300 lojistas visitaram a feira e 162 CNPJs diferentes adquiriram produtos do polo de Divinópolis dos segmentos masculino, jeans, feminino e plus size, que vão estampar as vitrines de 14 estados do Brasil. Foram mais de 800 pedidos, que contabilizaram mais de 36 mil peças.

Em 2019, o MVB contou com mais de 60 expositores, 300 compradores e movimentou aproximadamente R$ 7 milhões. De acordo com o executivo do Sinvesd, Marcelo Marcos Ribeiro, os números de 2020 devem ultrapassar os do último ano.

— O resultado desse MVB mostra que estamos crescendo a cada edição e que o produto do polo de Divinópolis tem grande aceitação em vários estados do Brasil. Acreditamos que 2020 vamos ganhar ainda mais mercado — enfatizou.

Flávio Geraldo Costa, sócio diretor da Confecção Izabela Ferreira, de Formiga, no Centro-Oeste de Minas, expõe seus produtos no Minas Veste Brasil desde a edição de 2009 e afirma que pretende continuar.

— Hoje o MVB já faz parte do nosso orçamento anual. Boa parte da nossa clientela, do potencial de vendas que nós temos vem daqui, são clientes em potencial com boa capacidade de compra. Pretendo continuar a expor no MVB, acredito que daqui algum tempo, podemos expandir para outras regiões — pontuou o empresário. 

Para João Sérgio Mendandro, proprietário da Loja Aluartebrasil, há 32 anos no mercado de Jundiái, São Paulo, o grande diferencial do produto mineiro é a fidelização da numeração. O empresário, que participa do MVB desde a primeira edição, garante que a clientela aguarda as peças do polo de Divinópolis para fazer suas compras.

— As roupas do polo de Divinópolis têm uma aceitação muito boa em São Paulo, primeiro pela qualidade, segundo pela fidelidade de numeração, que dá credibilidade com a cliente. Quando falamos com os clientes que vamos participar do MVB as pessoas ficam na expectativa de receber as mercadorias com a qualidade do produto de Minas — garantiu. 

Importância da indústria da moda 

De acordo com dados da FIEMG, a indústria da moda é a 2ª maior empregadora no estado, com 9.750 empresas (13,4% do total) e 127.971 empregos. No Centro-Oeste, o segmento corresponde a 8,9% do ICMS recolhido. O protagonismo da moda mineira reflete de forma significativa na economia brasileira. No último ano, o segmento movimentou cerca de R$ 312,24 milhões em ICMS. 

Para o analista técnico do Sebrae-MG, Dênis Magela, os números mostram que o polo de Divinópolis cada vez mais se posiciona pela qualidade e diferenciação dos seus produtos.

— Esse sucesso se dá pelo investimento em pesquisa, tendências e processo produtivo bem elaborado. Precisamos continuar capacitando os empresários e trabalhadores das indústrias para continuar se destacando no cenário nacional — enfatizou. 

O presidente da Fiemg Regional Centro-Oeste, Paulo Cesar Costa, que também é empresário do setor confeccionista, destaca que a consolidação do MVB em outro estado reforça a importância que o polo de Divinópolis tem para a economia de todo o país.

— Além de fomentar o mercado da moda, o evento traz benefícios para toda a economia da região de João Pessoa, movimentando o comércio, hotelaria, restaurantes e transportes, e alavancando novos negócios para as empresas participantes — pontua.

Comentários
×