Minas investiga 90 casos de sarampo

Da Redação

A Secretaria Estadual de Saúde (SES) divulgou a situação dos municípios em relação à epidemia de sarampo. De acordo com os dados, em Divinópolis foram quatro casos suspeitos da doença neste ano, porém, todos foram descartados.

Nas análises apontam que no período entre janeiro e novembro de 2018. Até o dia 27 não havia nenhum caso confirmado da doença. Em contrapartida são 424 casos suspeitos notificados, destes, 334 casos foram descartados laboratorialmente e 90 ainda se encontram em processo de investigação, aguardando pesquisa laboratorial das amostras pela Fundação Ezequiel Dias (Funed).

Mesmo sem confirmação no estado, a doença voltou a dar as caras em partes do Brasil. Por isso a vacinação mostrou-se mais necessária do que nunca.

Prevenção

O método mais eficaz para evitar a doença é através da vacinação. A campanha de vacinação aconteceu em agosto, porém, quem não se imunizou ainda pode se vacinar. O alvo principal são crianças de um a cinco anos. 

Para se imunizar são necessárias duas doses. Normalmente, no setor público a primeira é dada aos 12 meses de vida, com a versão tríplice viral, e a segunda, aos 15 meses, com a tetraviral.

Isso vale para o ano todo. Porém, devido aos surtos que têm ocorrido em alguns estados do Brasil, a campanha veio para aumentar a cobertura vacinal e impedir a disseminação do sarampo.

Sarampo

O sarampo é uma doença viral, infecciosa aguda, grave, transmissível, altamente contagiosa e comum na infância.

A pessoa infectada em sua fase inicial é caracterizada por febre, manchas avermelhadas que se distribuem de forma homogênea pelo corpo, sintomas respiratórios e oculares.

As complicações frequentemente acometem crianças desnutridas e menores de um ano de idade. A transmissão ocorre de pessoa a pessoa por meio de secreções (ou aerossóis) presentes na fala, tosse, espirros ou até mesmo respiração.

Comentários
×