Minas é o terceiro estado com mais obras paradas no país

Em Divinópolis, a construção do Hospital Público Regional, abandonada há três anos, é um exemplo

Da Redação

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) divulgou, nesta terça-feira, 19, um relatório de obras paradas em todo Brasil. De acordo com o “Diagnóstico sobre Obras Paralisadas”, Minas Gerais é o terceiro estado do país com mais construções interrompidas, perdendo apenas São Paulo e Maranhão. O relatório apontou que 269 obras estão paradas ou nem foram iniciadas, sendo uma delas o Hospital Público Regional, em Divinópolis. A construção completou nove anos em 1º de julho e está parada há três.

O hospital ocupa uma área de 36 mil metros quadrados e teria mais de 200 leitos credenciados ao Sistema Único de Saúde (SUS), para atender aos 53 municípios da macrorregião de Divinópolis. A promessa era de que 1,5 milhão de pessoas da região seriam beneficiadas, pois, após a sua inauguração, o Hospital Regional seria a única instituição de saúde pública do Centro-Oeste mineiro.

A placa fixada na porta da construção mostra que a obra estava orçada, inicialmente, em R$ 47.830.050 e o prazo para a conclusão era de 24 meses, ou seja, deveria ter sido entregue em 2012. De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde (SES), a previsão de custo final da construção era de R$ 98.917.720,37. Ainda segundo a secretaria, até setembro de 2017 haviam sido liberados R$ 63 milhões para a obra, o que corresponde a 60% da construção.

Novela

A primeira licitação feita para o Hospital Regional aconteceu em junho de 2010, e a empresa vencedora foi a Marco XX Construções LTDA. Oficialmente, as obras entraram na reta final em 20 de setembro de 2013, quando foi publicado no Diário Oficial o extrato “Início dos serviços de conclusão das obras do Hospital Público”, que destinou R$ 26.033.221,14 para finalizar o hospital. O extrato concedia mais 16 meses para a última etapa. Portanto, o Hospital Público Regional deveria ser entregue em dezembro de 2014.

No mês prometido, a então gerente do Projeto de Implantação dos Hospitais Regionais do governo estadual, Flávia Etelvino, anunciou que o hospital seria concluído em julho de 2015. Já em setembro daquele ano, o então secretário de Estado de Saúde (SES-MG), Fausto Pereira dos Santos, visitou as obras e se comprometeu a liberar R$ 10 milhões para a conclusão. Fausto disse na época que, com a liberação dos recursos, as obras deveriam acelerar e, em 2016, finalizadas. Mas nada disso se concretizou.

Sem dinheiro

Nove anos se passaram e a estrutura do hospital se definha com o tempo. Várias frentes políticas foram formadas na tentativa de dar continuidade às obras, mas nada foi feito. Em setembro de 2017, a SES informou que em 27 de dezembro de 2016 havia sido realizado um novo processo licitatório, que seguia em análise por uma comissão da Prefeitura de Divinópolis, para que fosse definida a empresa vencedora. Por sua vez, a assessoria de imprensa da Prefeitura negou a informação e ressaltou que a obra não recebia nem um centavo desde abril de 2016.

No ralo

Como a obra está sendo deteriorada pelo tempo, praticamente todo o dinheiro investido “foi para o ralo”. De acordo com o relatório do CNJ, só em Minas Gerais, quase R$ 1 bilhão foi desperdiçado com as obras que hoje estão paradas. Recentemente, o governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), divulgou um cronograma de obras que teriam prioridade em sua gestão para serem finalizadas. O Hospital Público não está incluído na lista.

Comentários
×