Mesmo com caso de febre amarela confirmado, procura por vacina é estável

 

Ana Laura Corrêa 

O boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) na última terça-feira, 13, confirmou o primeiro caso de febre amarela em Divinópolis. Apesar disso, a busca por vacinas contra a doença nos postos de saúde do município não aumentou.

O Agora entrou em contato com 13 unidades de saúde da cidade e os funcionários relataram que a procura pela imunização continua estável, mesmo após o caso registrado na última terça.

Foram pesquisados os postos de saúde do Centro e dos bairros Afonso Pena, Campina Verde, Nações, Nossa Senhora das Graças, Planalto, Santa Lúcia, Itaí, Bom Pastor, Danilo Passos, Icaraí, Serra Verde e Lagoa dos Mandarins.

Imunização 

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), a vacina contra febre amarela está disponível em todas as salas de imunização da cidade.

Ainda segundo a Semusa, devem receber a vacina pessoas a partir de 9 meses de idade, incluindo aquelas que têm mais de 60 anos, para as quais a imunização anteriormente era contraindicada.

Dados do boletim divulgado na última terça-feira pela SES mostram que, na regional de Divinópolis, que inclui 54 municípios, a cobertura vacinal acumulada entre os anos de 2007 e 2018 é de 89,17%. A meta de imunização estabelecida pela SES é de 95% da população. A região tem 1.195.499 habitantes e há a estimativa de que, destes, 129.446 pessoas ainda não tenham sido vacinadas contra a febre amarela.

A vacina, segundo a SES, é a medida mais importante para a prevenção e o controle da febre amarela.

— É importante salientar que a recomendação preconizada pelo Regulamento Sanitário Internacional da Organização Mundial de Saúde, ratificado pelo Ministério da Saúde, é de que uma única dose da vacina contra febre amarela confere proteção por toda a vida — informou a secretaria no boletim.

Caso 

A vítima do primeiro caso de febre amarela em Divinópolis, de acordo com a Semusa, foi um homem de 46 anos, que não havia se vacinado contra a doença. Ainda segundo a secretaria, o paciente ficou internado no Hospital Eduardo Menezes, em Belo Horizonte, já recebeu alta e está em casa.

O homem, de acordo com a Semusa, viajou para o São Sebastião das Águas Claras, distrito da cidade de Nova Lima popularmente conhecido como Macacos, durante o Carnaval. Os sintomas da doença começaram a aparecer em 18 de fevereiro.

 

 

Comentários
×