Menores que depredaram e incendiaram  escola podem ser internados por três anos

 

Da Redação

Os três menores, de 13, 15 e 16 anos, que depredaram e incendiaram a escola municipal Paulo Freire, no bairro Nações, em Divinópolis, já foram identificados e apreendidos pela Polícia Civil. Eles podem ficar internados por três anos.

Um deles, de 15 anos, foi aluno da escola e já esteve internado no Centro Sócioeducativo por tráfico de drogas.

— A motivação foi por simples rebeldia mesmo, vandalismo. Eles foram identificados pelo serviço de inteligência da Polícia Civil, mas não podemos revelar muitos detalhes do trabalho de investigação — informou o chefe do 7º Departamento de Polícia Civil, Ivan José Lopes.

Na visão da Polícia Civil, segundo o delegado, as ações dos adolescentes caracterizam ato infracional análogo ao crime de dano qualificado, pela deterioração de coisa do Estado – no caso, do Município. A atitude dos adolescentes também representa crime de incêndio, porque gerou perigo de dano para pessoas indeterminadas, além do crime de furto, visto que levaram alguns pequenos objetos do local.

— É um fato que consideramos gravíssimo porque, além do prejuízo ao patrimônio público, causou risco para um número indeterminado de pessoas daquelas imediações, representou uma afronta ao poder do Estado, foi um desrespeito aos professores e alunos daquela escola e, finalmente, também por causa do risco de uma tragédia semelhante àquela que aconteceu no ano passado em Janaúba — disse o delegado.

Ainda acordo com Ivan Lopes, os menores foram ouvidos na Delegacia Regional e seriam autuados. Porém, até um fechamento desta matéria por volta das 17h30, os depoimentos não tinham terminado.

— A Polícia Civil convidou o promotor da Infância e Juventude, Carlos José Fortes, para o procedimento. Também já sugeriu a ele, e ele sinalizou que iria, representar pela internação provisória dos menores. É bem provável que o Judiciário decrete a internação e eles então devem ser encaminhados ao Centro Socioeducativo de Divinópolis — informou Ivan Lopes.

Uma vez condenados, como são menores de 18 anos, os três não estão sujeitos a penalidades do Código Penal, mas medidas socioeducativas. A mais severa que existe, no Estatuto da Criança e do Adolescente, é a internação, que pode chegar a três anos, no máximo.

Fato

Na noite de sábado, os três adolescentes entraram na escola, depredaram, tentaram furtar pequenos objetos e atearam fogo em uma das salas de aula. O incêndio foi controlado pelo Corpo de Bombeiros.

Uma câmera registrou parte da ação dos adolescentes. O vídeo está disponível no www.agora.vc

Comentários
×