Meningite bacteriana matou escritora Bárbara Dias, diz laudo da Funed

Ricardo Welbert

Meningite bacteriana – infecção que provoca a inflamação do tecido que envolve o cérebro e a medula – foi a causa da morte da escritora divinopolitana Bárbara Dias, aos 17 anos. É o que afirma o resultado do exame feito pela Fundação Ezequiel Dias (Funed), ao qual o Portal Agora teve acesso com exclusividade nesta quarta-feira, 10.

A garota morreu na noite de 27 de dezembro, poucas horas depois de dar entrada no Hospital Santa Lúcia. A principal suspeita era de dengue hemorrágica, dada a rapidez com a qual o quadro evoluiu para o óbito.

Para Heloísa Dias, mãe de Bárbara, o resultado trouxe surpresa, mas também um pouco de alívio.

— Eu já estava angustiada pelo resultado. A primeira hipótese, de que fosse dengue hemorrágica, se fosse confirmada, geraria uma preocupação pela possibilidade de que houvesse uma epidemia na região de casa — disse ela ao Portal Agora, lembrando que após a divulgação da hipótese a Prefeitura promoveu um mutirão de limpeza de terrenos e quintais no bairro, com o objetivo de encontrar possíveis focos do Aedes aegypti.

— Com a confirmação por meningite bacteriana, fica claro que o que aconteceu com minha filha foi uma fatalidade. Nenhuma outra pessoa próxima a ela teve os sintomas dessa doença, o que significa que foi um caso isolado. Ela pode ter se contaminado por meio da respiração. Não houve falha de ninguém — acrescentou Heloísa.

Os sintomas começaram a se manifestar em Bárbara no dia 25 de dezembro, quando ela mal conseguiu passar o Natal coma família, pois se queixava de forte dor de cabeça.


A doença

De acordo com o clínico geral Arthur Frazão, meningite bacteriana é uma situação grave e que pode colocar em risco a vida da pessoa caso não seja tratada adequadamente.

— A meningite bacteriana tem cura, mas a pessoa deve ser levada para o hospital assim que os primeiros sintomas apareçam para receber o tratamento adequado — explicou.

O tempo de incubação da bactéria geralmente é de 4 dias até que a pessoa comece a apresentar os primeiros sintomas de meningite, que podem ser febre acima de 38º C, dor de cabeça intensa, dor ao virar o pescoço, manchas roxas na pele, rigidez muscular no pescoço, cansaço e apatia, sensibilidade à luz ou ao som e confusão mental. 

Contágio

O contágio da meningite bacteriana acontece através do contato com gotículas de saliva do indivíduo. Por isso o paciente com meningite deve utilizar uma máscara facial, vendida na farmácia, e evitar tossir, espirrar ou falar muito próximo de indivíduos saudáveis.

A prevenção da meningite bacteriana pode ser feita com a vacina para meningite, que deve ser tomada por crianças com 2, 4 e 6 meses de idade.

As sequelas incluem alterações cerebrais, surdez, paralisia motora, epilepsia e dificuldade na aprendizagem. 

Tratamento

Deve ser feito no hospital, com a injeção de antibióticos. A pessoa pode ficar internada em isolamento nas primeiras 24 horas após iniciar a administração dos antibióticos e voltar para casa após 14 ou 28 dias, quando ficar curada.

Sonhos interrompidos

Há quatro meses Bárbara lançou seu primeiro livro: "Nevasca", pela editora Gulliver. Em entrevista ao Agora ela falou sobre a história que conta em sua primeira obra e explicou sobre as pesquisas que fez e referências que buscou durante a escrita. Também detalhou alguns sonhos que tinha para a carreira de escritora.

 

 

Comentários
×