Medicamentos descartados no Jardim Candidés não são de nenhuma farmácia do município, garante Prefeitura

Da Redação 

Um vídeo do deputado estadual, Cleitinho Azevedo (CDN), gravado nesta quarta, 1º, denuncia o desperdício de medicamentos que foram desovados em um terreno no bairro Jardim Candidés. A publicação já tem mais de quarenta mil compartilhamentos e mais de três mil comentários.

A Prefeitura de Divinópolis já acionou a polícia para investigar o descarte irregular dos medicamentos. A expectativa é de que a partir do numeração do lote dos medicamentos, seja possível chegar aos responsáveis. No local foram encontrados frascos de medicamentos, além de ampolas de uso médico. Uma parte dos materiais estava queimada.

 A Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) descartou a possibilidade dos medicamentos terem partido de farmácias da Prefeitura.

— A equipe da Semusa está no local e comprovou que não se trata de medicamentos de algum laboratório que forneça qualquer tipo de medicamentos para a Prefeitura. Por isso, entre as possibilidades avaliadas, está a de que seja desova de carga roubada. O próprio deputado ressalta em seu vídeo que o local é utilizado para esse tipo de crime — aponta a assessoria de imprensa da Prefeitura.

Ele garante que o descarte não partiu do Município.

 — Podemos garantir que não se trata de um descarte da Administração. Todo material da Semusa é encaminhado para incineração, dentro de todos os padrões ambientais. Além disso, uma das principais ações da atual gestão foi a implantação de um controle rigoroso do estoque de medicamentos e outros produtos. Praticamente, não temos mais desperdício — reforçou.

O secretário de Saúde, Amarildo Sousa,  informou que o Executivo já arca com a retirada de toneladas de lixo hospitalar, material que foi trazido do sul de Minas por uma empresa particular e, de maneira irregular, foi incinerado em um galpão no Distrito Industrial.

— Trata-se de uma determinação judicial que custou aos divinopolitanos cerca de R$ 300 mil, disse.

Comentários
×