Média de acidentes de trânsito é de 2 por dia

 

Maria Tereza Oliveira

A Semana de Trânsito termina hoje, mas o cuidado e vigilância de todos que fazem parte dele precisam ser constantes. A Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (Settrans) revelou à reportagem quais as infrações mais comuns dos motoristas, além de explicar sobre o rotativo eletrônico. De acordo com a Settrans, Divinópolis conta com cerca de 140 mil veículos em sua frota, o que corresponde a um para cada dois habitantes.

O crescimento dessa quantidade e a falta de disciplina resultaram em um número expressivo de acidentes. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) revelou que, só neste ano, atendeu 530 acidentes envolvendo veículos em geral. A média é de quase dois por dia.

Já quanto às infrações, conforme o secretário de Trânsito, Marcelo Augusto, explicou, a principal indisciplina dos motoristas está relacionada à forma de estacionar. Muitos divinopolitanos têm parado seus veículos em locais ou horários proibidos.

Os órgãos responsáveis pelo trânsito reforçam que todos fazem parte do tráfego e têm responsabilidade para mantê-lo seguro. Portanto, motoristas, motociclistas, pedestres e ciclistas devem tomar cuidados para evitar acidentes.

Estacionamento vilão

O grande obstáculo dos condutores parece mesmo ser o estacionamento. Além de ocupar o topo do pódio de infrações – referente ao local e horário –, ele aparece na vice-liderança das indisciplinas no trânsito. Estacionar em desacordo com a regulamentação do estacionamento rotativo é a segunda infração mais comum cometida pelos divinopolitanos.

O estacionamento rotativo é um sistema que impõe regras para a permanência de veículos na via pública, alinhados ao meio-fio da calçada. Geralmente, as normas envolvem o pagamento de um pequeno valor para que o carro possa ficar estacionado e um limite de tempo.

De acordo com os dados da Settrans, o descumprimento desta regra tem sido popular.

Apesar de já ter sido instalado em diversas cidades, o rotativo digital ainda não está disponível em Divinópolis. Entretanto, Marcelo Augusto explicou que o estacionamento rotativo eletrônico está em fase final de elaboração do projeto para implantação.

— Pretendemos implantar ainda neste ano — prometeu.

Celular

Na era digital, o celular passou a ser item indispensável para a maioria das pessoas. No entanto, o uso do aparelho enquanto se dirige não é considerado contravenção. Mesmo sendo proibido, ainda há quem insista em conduzir veículos e usar o celular. Esta é a terceira infração mais aplicada na cidade.

Estudos comprovam que o aparelho divide a atenção do motorista e é o culpado por inúmeros acidentes.

Atendimentos

O Samu revelou à reportagem quais os acidentes mais frequentes que precisam de atendimento. As protagonistas na maioria dos acidentes são as motocicletas. Entre os 530 atendimentos, pelos menos 328 tiveram envolvimento com motos.

No topo da lista estão acidentes envolvendo carros com motos. Até ontem, eram 150 ocorrências. Em segundo lugar vêm quedas de motos, seguidas por 81 atropelamentos.

No entanto, há outros acidentes, como pequenas batidas, que não entram nas estatísticas do Samu.

Pedestres e ciclistas

Todos que fazem parte do trânsito têm suas responsabilidades, incluindo pedestres e ciclistas, mas muitas vezes os deveres de cada um não ficam claros. Ao contrário do que se imagina, os pedestres também são responsáveis por acidentes. Atravessar fora da faixa e com o sinal fechado para quem está a pé resulta em ocorrências.

Sobre os ciclistas, surgem ainda mais dúvidas. Apesar de haver algumas ciclovias na cidade, elas não estão disponíveis em todo o perímetro urbano. Não é incomum ver ciclistas nas calçadas ou no meio das ruas junto com os carros. Isso acaba gerando confusões sobre onde é o local adequado para eles andarem.

Segundo o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) não é permitido que ciclistas trafeguem pelo bordo da pista, pelo acostamento ou na faixa especial, pois estarão cometendo uma infração média, que gera multa de R$ 130,16.

Conduzir a bicicleta, pedalando, em passeios onde não seja permitida a sua circulação também é uma infração média, com multa de R$ 130,16, passível de remoção do veículo.

Andar de bicicleta de forma “agressiva” é infração média, com multa de R$ 130,16. Conforme o Denatran, guiar de forma agressiva seria conduzir o veículo sem respeitar as leis de trânsito, sinal de trânsito, não parar nas faixas de pedestre, dentre outros.

No entanto, apesar das normas, o Contran publicou em março a Resolução (Res) 772/19 que revoga a norma que estabelecia a padronização dos procedimentos administrativos como auto de infração, na expedição de notificação de autuação e de notificação de penalidades por infrações de responsabilidade de pedestres e de ciclistas.

 

Comentários
×