Mato, cobras, aranhas e ratos: rotina em rua do Santa Martha

Ricardo Welbert

Moradores da rua Janot Vivian Silva, no bairro Santa Martha, reclamam da quantidade de terrenos abandonados e cheios de mato na região. O militar da reserva Francisco Silvio dos Santos, de 52 anos, enviou ao Agora várias fotos que mostram a situação.

— A gente constantemente encontra cobras, aranhas e ratos nas ruas e também nas nossas casas. Muitos de nós já reclamamos à Prefeitura, mas não adiantou — reclama.

Além de animais peçonhentos, a sujeira favorece ainda a reprodução do mosquito aedes aegypti, que transmite dengue, zika e chikungunya.

— Um desses terrenos tem uma sucata de um carro. O pessoal da equipe de combate da Prefeitura não consegue entrar lá para jogar veneno, porque o portão está trancado — relata.

Ao lado da casa dele, a vegetação em um lote é tão alta que passa por cima do muro. Segundo o morador, muitas pessoas suspeitas ocupam o local durante o dia. Quando perguntadas sobre o que fazem ali, dizem que estão se escondendo do sol.

— Minha esposa queria vender a casa devido ao fogo que algumas pessoas colocam nos lotes. As crianças têm bronquite asmática e sofrem muito com isso — reclama.

O vereador Sargento Elton (PEN) soube do problema e pediu a Francisco que forneça o endereço completo dos imóveis abandonados, para levar o assunto à Câmara e cobrar à Prefeitura.

Outro lado 

Procurada pelo Agora ontem à tarde, a Prefeitura informou que só poderá responder sobre os problemas nos imóveis da rua Janot Vivian Silva quando tiver acesso aos números dos protocolos de reclamações feitas por moradores.

 

Comentários
×