Material escolar teve aumento

Jorge Guimarães

Janeiro já está batendo à porta e, com ele, vêm as tradicionais contas de início de ano como o Im­posto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), Imposto sobre a Propriedade Predial e Ter­ritorial Urbana (IPTU), matrículas escolares e a também tradicional lis­ta de material escolar. E quem ainda não fez o seu orçamento para o início de ano, pode ficar atento aos preços dos materiais escolares. É que ao longo do ano, os valores foram reajustados na média de 8%, e com possibilidade de aumentar ainda mais se faltar mercadoria. Isso porque muitos varejistas do setor não investiram em grandes estoques, se­gundo a Associação Bra­sileira de Fabricantes e Importadores de Artigos Escolares e de Escritório (Abfiae). Se as vendas fo­rem altas, é possível que os preços subam mais em janeiro.

Gatilho

Conforme o diretor de relações institucionais da Abfie, Ricardo Carrijo, o aumento de 9% foi puxa­do especialmente pela alta do dólar, que ultrapassou os R$ 4 no segundo se­mestre de 2018. E é justa­mente nessa época que as encomendas são realiza­das. Entre os importados estão as mochilas, os esto­jos e a maioria das marcas de lápis de cor.

O empresário Vantuir José dos Santos, com duas papelarias na cidade e há 23 anos no ramo, relata que os preços tiveram re­ajustes significativos du­rante o decorrer de 2018.

— Ao longo do ano, os preços foram sendo rea­justados quase que men­salmente. Os aumentos devem ter batido na casa dos 9%. Hoje ainda estou trabalhando com o preço antigo. Isso deve perma­necer assim até acabarem os produtos, que devem durar até o final do mês. Depois, com a renova­ção do estoque, aí, sim, poderá acontecer algum aumento em relação à de­manda do mercado —re­vela Vantuir.

Pesquisa

A dona de casa Paula Silva sempre se antecipa as listas oficiais e já com­pra o básico agora no mês de dezembro.

— Faço minha pesqui­sa e já me antecipo com­prando o básico, o que já sei, pois assim ganho em tempo e sobra um pouco de dinheiro, acho os pro­dutos mais em conta — disse a dona de casa.

Já a diarista Joana Ma­ria disse que já está orga­nizando um grupo para ir às compras e, assim, ga­rantir um bom desconto, sem deixar de lado, é ló­gico, a pesquisa de preço.

— Hoje, estou já na pesquisa de preços. De­pois, vou escolher o me­lhor e realizar uma com­pra em grupo para ga­nharmos descontos nas compras — definiu Joana.

Comentários
×