Material de construção encarece em Divinópolis

 

Jorge Guimarães

 O Núcleo de Pesquisa Econômica (Nupec) da Faculdade de Ciências Econômicas, Administrativas e Contábeis de Divinópolis (Faced) pesquisou no mês de fevereiro, em Divinópolis, dezesseis estabelecimentos que comercializam materiais básicos de construção. Os preços aumentaram em fevereiro em relação a janeiro.

Os itens pesquisados foram: cal, cimento, metro cúbico da área, metro cúbico da brita e tijolo cerâmico com oito furos.

O cimento (2,74%), a cal (2,08 %) e a areia grossa (1,15 %) foram os materiais que demonstraram as maiores altas de preços em relação ao mês de janeiro. Os demais foram o tijolo oito furos (0,65%) e o metro cúbico da brita 1 (0,51%).

– A instabilidade dos preços já era esperada para o início do ano devido às chuvas. A variação ocorreu em alguns itens devido à lei de mercado, que é a da oferta e procura. O que se espera é uma estagnação nos próximos dias – analisa o economista Leandro Maia, responsável pela pesquisa.

 Oscilações

Já os que registraram as maiores variações de preços entre os depósitos de construção da cidade foram o tijolo de oito furos (70%), areia grossa (62%) e brita (107%).

 Mercado 

A construção civil foi um dos segmentos que mais sofreram com a recessão econômica e, conforme especialistas, é o que tende a se recuperar mais lentamente, pois depende de confiança no futuro.

Para este ano, a expectativa é de que as vendas no varejo devem apresentar um crescimento expressivo graças à melhora da situação econômica das famílias, mas as incertezas ainda são elevadas no tocante aos investimentos do setor público. A perspectiva para o ano é de uma oscilação na receita do setor de até 2%, de acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat).

– Já estamos sentindo uma sensível melhora nas vendas neste começo do ano, o que já é um ótimo sinal. A recuperação da economia será um suporte para que o setor da construção civil cresça, mesmo que em ritmo lento – avalia a atende de uma das mais tradicionais lojas de material de construção da cidade, Lucinda de Lopes Sales.

 

Comentários
×