Material de construção cai até 9,74% em Divinópolis

 

Pablo Santos   

O tijolo de oito furos foi o item com a maior queda do material de construção em setembro. Além do tijolo, areia fina, areia grossa e brita também registraram declínio de preço no mês passado, de acordo com os dados do Núcleo de Pesquisas Econômicas (Nupec) da Faced.  Variação entre um e outro chega a 148%. 

O núcleo pesquisou em setembro os preços em dezesseis estabelecimentos que comercializam materiais básicos de construção. Os itens pesquisados foram: cal, cimento, preço do metro cúbico da areia, preço do metro cúbico da brita e tijolo cerâmico com oito furos. 

Conforme a pesquisa, o tijolo oito furos registrou declínio de 9,74% no mês passado quando se compara com agosto. Naquele mês, o item estava cotado a R$ 0,68 e, no mês passado, caiu para R$ 0,61. 

O metro cúbico da areia fina foi o segundo item com maior declínio. De acordo com o Nupec, a queda foi de 6,14%.  Em agosto, o metro cúbico estava cotado a R$ 87,92 e, passou para R$ 93,67 no mês passado. 

Já a brita teve praticamente o mesmo percentual de declínio de 6,07%. O item foi pesquisado em agosto e o valor médio encontrado ficou em R$ 84,63 e, no mês seguinte, passou para R$ 79,49, afirmou o Nupec. 

A areia grossa registrou queda de 4,08% no mês passado, contra agosto.  Atualmente, o valor chega R$ 72,74, em média, contra R$ 75,83 do mês anterior. 

Já a argamassa passou de R$ 7,56 para R$ 7,34, de acordo com os dados do Nupec, representando queda de 2,90%. 

 Dois 

Apesar da maioria dos itens registrar queda de preço em setembro no comparativo com agosto, dois itens tiveram preços reajustados para cima. A cal de 20 quilos retraiu 3,17% e, atualmente, custa R$ 7,65. 

O cimento teve um leve declínio de 1,40%. O valor da saca está cotado, em média, R$ 15,15. 

 Variações 

Conforme o Nupec, os itens que registraram as maiores variações de preços entre os depósitos de construção da cidade, foram: tijolo 8 furos (148%), brita (90%) e areia grossa (78%). 

 

 

Comentários
×