Más condições em delegacias do interior motivam audiência

Comissão de Segurança Pública discute hoje a falta de materiais básicos e de pessoal na Polícia Civil

 

 

A Comissão de Segurança Pública discute hoje, a partir das 9h30, a precariedade das delegacias de polícia do interior do Estado, onde estariam faltando desde materiais básicos, como caneta e papel higiênico, até efetivo policial.

A audiência pública será realizada no Plenarino IV da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), a requerimento dos deputados João Leite (PSDB), Cabo Júlio (PMDB), João Magalhães (PMDB) e Sargento Rodrigues (PDT).

Segundo o deputado Sargento Rodrigues, presidente da comissão, a reunião foi pedida diante da situação exposta pelo Sindicato dos Delegados de Polícia (Sindepo) acerca de dificuldades rotineiras e de más condições de trabalho em delegacias localizadas no interior.

— Faltam condições mínimas de funcionamento e de estrutura logística, o que acaba trazendo consequências graves para a realização de inquéritos e diligências no interior — considera o deputado.

Investimentos

Na sua avaliação, esse cenário é fruto da queda de recursos de custeio e investimento destinados à área de segurança pública. Segundo o parlamentar, o montante, apenas para investimento, caiu de R$ 33 milhões em 2014 para R$ 1,8 milhão em 2016.

Para discutir a situação foram convidados representantes das secretarias de Estado da Fazenda e de Planejamento e Gestão, da chefia da Polícia Civil e de entidades representativas de servidores.

Hanseníase e criminalidade 

A falta de acesso a serviços básicos e o aumento da violência, que estariam prejudicando moradores de colônias para pessoas com hanseníase, serão discutidos também em audiência, porém tem como solicitante a Comissão de Direitos Humanos. O horário da reunião é o mesmo, às 9h30, no Auditório José Alencar Gomes da Silva.

O presidente da comissão, o deputado Cristiano Silveira (PT), que pediu a reunião, destaca que Minas tem hoje quatro casas de saúde para acolhimento de pessoas com hanseníase, localizadas nas cidades de Ubá (Zona da Mata), Betim (Região Metropolitana de Belo Horizonte), Bambuí (Centro-Oeste) e Três Corações (Sul de Minas).

— Recebemos relatos sobre o crescimento dos casos de violência ocorridos nestas localidades, e muitos deles estariam relacionados ao tráfico de drogas. Queremos obter mais informações para que possamos cobrar as devidas providências do poder público — frisa o parlamentar.

Assistência social 

A Comissão de Direitos Humanos também recebeu reclamações sobre a prestação de serviços públicos nessas comunidades. Por isso, a audiência também vai tratar do acesso dos moradores à educação, à saúde e à assistência social.

A audiência deverá reunir representantes do Poder Executivo nas áreas de saúde, direitos humanos e planejamento, além de promotores de Justiça.

 

Comentários
×