Marcos Vinícius diz que não foi notificado de decisão da Justiça sobre falsidade ideológica

Da Redação

O vereador Marcos Vinícius (DEM) disse ao Agora na tarde desta terça-feira, 28, que ainda não foi notificado sobre a decisão da 3ª Vara Criminal da Comarca de Divinópolis que julgou parcialmente procedente ação penal proposta pelo Ministério Público (MP) contra ex-agentes públicos da Câmara e da Prefeitura, entre eles, o vereador, que está em seu quarto mandato. A condenação contra ele e sua cunhada Andreza Alves da Silva é pela prática do crime de falsidade ideológica.

Marcos Vinícius disse ainda que caso proceda, certamente vai recorrer.

— Primeiramente com Embargos Declaratórios e após Recurso de Apelação junto ao egrégio Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG).

O vereador afirma que a decisão final caberá ao Tribunal.

— Estou muito tranquilo quanto à licitude dos meus atos e sei que a Justiça será restabelecida. Penso que se trata de um simples formulário padrão impresso pela Câmara Municipal com o pedido dos nomes de todos familiares de toda árvore genealógica desde os bisavós. Todo parentesco foi declinado e informado devidamente. Mas no formulário da Câmara não constava ou pedia para citar os "cunhados" ou qualquer outro parentesco por consanguinidade nem mesmo por afinidade — completou.  

Segundo o vereador, ao contrário, todas as informações requeridas foram devidamente prestadas. Por isso, diz considerar improcedente a constatação de omissão e falsidade ideológica.

— Essa situação será facilmente compreendida e corrigida pelo egrégio TJMG — finalizou.

Comentários
×