Marca da besta

João Carlos Ramos

O capítulo 13 do Apocalipse faz menção de duas bestas, uma sobe do mar e outra da terra. Em linguagem profética, besta significa poder. A interpretação correta é que se levantariam dois poderes, um religioso e outro político. Refere-se a Roma e aos Estados Unidos. A besta que sobe do mar é o poder religioso que domina os povos, centralizado em Roma, através do Vaticano.

A besta que sobe da terra é o poder político dos Estados Unidos. Todos os povos da terra são dominados por esses dois poderes. A Bíblia prevê que haveria de surgir uma imagem da besta que significa o concílio mundial de igrejas, que vai exigir a marca da besta "na mão direita e na testa" de todos os habitantes da terra (Apoc. 13:16). As referidas marcas darão direito ao livre comércio, e os opositores sofrerão as penalidades da lei universal. "Ninguém compra, nem vende se não tiver a marca da besta (Apoc. 13:17).” Também haverá o número 666, referente à besta.

Alguns intérpretes dizem que haverá marcas corporais ou documentais, mas as marcas são espirituais, e não físicas. Trata- se de doutrina (na mente) e companheirismo (na mão).

Haverá apenas uma religião (ecumênica) e todos darão as mãos em sinal de companheirismo. As cinco virgens néscias (Mateus 25) serão massacradas, juntamente dos 144 mil judeus (Apoc. 14).

As cinco virgens néscias são indivíduos que não aceitarão o pacto das igrejas com a besta e os 144 mil, idem. Esse tempo será chamado de "grande tribulação", quando as mães comerão seus próprios filhos e a morte será aprisionada por cinco meses, para que sejam evitados suicídios em massa. Esse período, segundo a profecia de Daniel, durará três anos e meio (Daniel 9) e se refere à metade da última semana das 70 semanas de Daniel. No fim desse período haverá a Batalha do Armagedon, que introduzirá a paz eterna, através do milênio (reino de Cristo e aqueles que foram arrebatados, antes da grande tribulação).

Jesus Cristo será coroado Rei dos Reis e Senhor dos Senhores. No período milenial, satanás será aprisionado no abismo e solto somente após esse período para arregimentar todos para a última batalha do mundo.

Refere-se à guerra de Gogue e Magogue. A segunda ressurreição acontecerá nesse período e todos se unirão ao Diabo para batalhar contra Deus, mas "fogo desceu do céu e os consumiu” (Apoc. 21:7-9).

Recapitulando o assunto inicial, que é a marca na besta, existe uma doutrina babilônica que potencialmente une a todas as religiões. A chamada doutrina da Santíssima Trindade!

Por enquanto, ela fala "como cordeiro", mesmo sendo dragão. Exatamente essa será a doutrina mãe que unirá todas as religiões, especialmente as igrejas Católica e Protestante.

Não há menção da palavra trindade na Bíblia e a doutrina foi criada no Concílio de Nicéia, em 325 d.C., por Constantino, se referindo como três pessoas na divindade: o pai, filho e o Espírito Santo.

Jesus disse: “Quem vê a mim, vê ao pai” (João 14:8-9), “O Espírito Santo é o Espírito de Cristo derramado na igreja no dia de Pentecoste” (Atos 2). “Jesus Cristo é a encarnação de Deus” (Isaias 9:6) e a doutrina da Trindade é xerocada das trindades indiana, chinesa e de vários povos bárbaros, inclusive o babilônico. Deus é espírito e Jesus é corpo (eis o mistério revelado aos eleitos).

O assunto é vasto e chocante, sendo, portanto, necessários outros estudos posteriores. Que Deus vos ilumine!

jocarramos@gmail.com

Comentários
×