Maquinário para confecção oscila 85%

Pablo Santos

O monitoramento do desempenho do setor de maquinário do vestuário é realizado mensalmente pelo Núcleo de Pesquisas do Vestuário (Nupev), do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (Cefet), em Divinópolis. Neste mês, o monitoramento apontou variação de até 85% entre equipamentos. A pesquisa mensal analisou valores de maquinário em lojas da cidade com preços de R$ 1,6 mil a R$ 8,9 mil.

Foram verificados os valores de oito máquinas utilizadas pelo parque fabril da confecção em Divinópolis. O monitoramento encontrou itens com diferença de 12% a 85% no mês passado.

A poespontadeira, equipamento destinado a pesponto em peças costuradas na interlok e para aplicação de bolsos, assinalou a maior variação: 85%. O preço médio foi de R$ 2,8 mil. O item pode ser encontrado de R$ 2 mil a R$ 3,7 mil, apontou a pesquisa do Nupev.

O equipamento pregar cós (12 agulhas) é o segundo item da pesquisa com maior oscilação de valores: de R$ 3,9 mil a R$ 5,3 mil, registrando uma variação de até 57,8%, apontou o Nupev.

A interlock ficou na terceira posição no ranking de maior diferença do monitoramento. A máquina que facilita a dobra do tecido do pesponto reta é cotada de R$ 1,7 mil a R$ 2,3 mil. A variação média ficou em 41,1%.

Já a overlock – máquina para fechamento de peças – apontou variação de 28,6%. Conforme a pesquisa, o item é cotado de R$ 1,7 mil a R$ 2,9 mil.

Menores

O equipamento mais caro, de acordo com o Nupev, a caseadeira, é encontrada por quase R$ 9 mil nas lojas especializadas da cidade. A aplicadora de botões é cotada de R$ 7,7 mil a R$ 8,9 mil, e sua variação de valores é de 15,45%.

A menor oscilação de preços, segundo o monitoramento, é para galoneira. O equipamento é cotado de R$ 3,2 mil a R$ 3,6 mil, ou seja, diferença de 12,15%.

Ainda de acordo com a pesquisa, a travete tem uma variação de 23,86%. A máquina, que tem a finalidade de fazer travas em pontos específicos, é a segunda com maior valor: de R$ 6,2 a R$ 7,7 mil.

Comentários
×