Mais setores vão para o Centro Administrativo

Prefeitura espera economizar mais de R$ 1 milhão Divulga

 

Da Redação

Até a primeira quinzena de setembro, o Centro Administrativo da Prefeitura de Divinópolis receberá a Superintendência Usina de Projetos e a diretoria de Infraestrutura e Desenvolvimento Tecnológico. Os dois setores ocuparão integralmente o primeiro andar. No mês passado foram abrigados a Usina de Projetos, o Centro de Processamento de Dados e as áreas de Meio Ambiente, Análise de Projetos e de documentação da Diretoria de Cadastro.

Segundo o governo, a nova política de locação de imóveis adotada já gerou economia mensal de R$ 114.988,17. A previsão é de que até o fim do ano esse valor seja de R$ 1.379.858,04. Além das adequações e conclusão das obras do Centro Administrativo, houve renegociação de valores de aluguéis pagos pelo município.

O imóvel onde funciona a Biblioteca Pública, na avenida Sete de Setembro, esquina com rua Rio de Janeiro, por exemplo, também teve o valor renegociado, passando de R$ 27 mil para R$ 18 mil mensais. Outros imóveis foram entregues e os serviços readequados dentro dos espaços públicos.

Economia

De acordo com a secretária municipal de Administração, Orçamento e Informação, Raquel Freitas, será mais um importante passo para a economia com alugueis.

— Estamos cumprindo uma determinação do prefeito Galileu Machado de não medir esforços para garantir 100% de ocupação do Centro Administrativo. A vinda da Usina de Projetos gerará uma economia de aproximadamente R$ 15 mil por mês e o CPD mais R$ 3 mil — destacou.

O segundo andar do novo prédio da Prefeitura está reservado para a Secretaria Municipal de Planejamento Urbano e Meio Ambiente.

Até o mês passado a nova política de locação de imóveis adotada pela Prefeitura já gerou uma economia mensal de R$ 114.988,17. A previsão é de que até o final do ano esse valor seja de R$ 1.379.858,04.

Além das adequações, a capacidade da administração em concluir as obras da nova prefeitura, houve uma profunda renegociação de valores de alugueis pagos pelo município. O imóvel onde funciona a Biblioteca Pública, por exemplo, teve seu valor renegociado, passando de R$ 27 mil para R$ 18 mil mensais. Outros imóveis foram entregues e os serviços readequados dentro dos espaços públicos ou em locais alugados, mas com valores inferiores ao que se pagava antes.

 

Comentários
×