Mais quatro depoentes serão ouvidos na CPI dos Áudios

Pollyanna Martins

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga os áudios disponibilizados por Marcelo Máximo de Morais, mais conhecido como Marcelo Marreco, no dia 24 de abril, irá fazer uma nova oitiva no dia 9 de julho. De acordo com o relator da comissão, Renato Ferreira (PSDB), serão ouvidos o procurador do Município, Wendel Oliveira, o procurador federal Lauro Coelho, o ambientalista Jairo Gomes e o vereador Delano Santiago (MDB).

Os primeiros depoimentos foram prestados na segunda-feira, 25. O primeiro a depor na CPI foi o autor dos áudios, Marcelo Marreco, ex-aliado do prefeito Galileu Machado (MDB). Durante a oitiva, Marreco trouxe novos personagens para a história, entre eles, Delano Santiago, o ambientalista Jairo Gomes e a secretária municipal de Administração, Raquel Freitas. O ex-aliado do prefeito disse ter procurado Delano na véspera de seu pronunciamento na Tribuna Livre e ter entregado cópia do CD com as gravações das supostas ligações feitas entre ele e Galileu. Por causa deste novo fato trazido por Marcelo Marreco, o vereador foi convidado a prestar depoimento na comissão.

Já Jairo Gomes foi convocado, pois o ex-aliado do prefeito afirmou, durante a sua oitiva, que coincidentemente o ambientalista estava na casa de Marreco quando Galileu telefonou e também quando recebeu as ligações do editor do Divinews, Geraldo Passos.

O procurador federal Lauro Coelho prestaria depoimento à CPI também na segunda-feira, porém não pôde comparecer, pois estava em Oliveira. O relator da comissão disse que, desta vez, a presença do procurador está confirmada.

Conforme informou Renato, os depoimentos começarão a partir das 13h. O procurador do Município também foi convocado, pois, durante a oitiva de Marcelo Marreco, foi questionada a falta de sua assinatura no decreto de nomeação do ex-aliado de Galileu, para o cargo comissionado de coordenador de Abastecimento e Segurança Alimentar, na Secretaria Municipal de Agronegócios. No documento, havia apenas as assinaturas do prefeito e do secretário municipal de Governo, Roberto Antônio.

Além de Marreco, o chefe de gabinete Djalma Guimarães prestou depoimento à CPI na segunda-feira. O prefeito solicitou que o seu depoimento fosse tomado somente após a comissão ter em mãos a perícia técnica das gravações, o que será feito pela Polícia Civil.

 

Comentários
×