Mais eleitores, menos votos

Neste ano, 166 mil pessoas estas aptas a comparecer às urnas; abstenção tem sido alta nos últimos anos

Matheus Augusto 

O divinopolitano está a duas semanas de descobrir quem ocupará o Executivo e o Legislativo pelos próximos quatro anos. Em Divinópolis, as duas zonas eleitorais, 102ª e 103ª, concentram, respectivamente, 95.600 e 68.833 eleitores aptos a votar em 15 de novembro ‒ 164.433, no total. O número, porém, pode não se refletir na votação, já que, conforme os indicadores do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sobre a cidade, os últimos anos apontam para o aumento na abstenção.

Querer não é poder

A cada quatro anos o número de eleitores aumenta. O poder, porém, nem sempre se reverte em desejo e uma parcela considerável da população opta por não votar. Em 2018, dos 163.331 eleitores, apenas 136.487 (83,56%) compareceram à votação, enquanto 26.844 (16,44%) não votaram ‒ nem mesmo em branco ou nulo. 

Os indicadores mostram uma tendência de queda na participação dos eleitores. Em 2014, por exemplo, mais eleitores compareceram do que em 2018: 136.626. O número de abstenções naquele ano foi de 15.495. Em 2016, 136.344 compareceram e 22.593, não.

Elegíveis

Neste ano, a Justiça Eleitoral recebeu 358 solicitações para registros de candidatura em Divinópolis, nove para prefeito e 339 para vereador ‒ nove foram classificados como inaptos. Dos nove candidatos inaptos, seis foram por motivo de renúncia e três foram indeferidos pela Justiça. Dos indeferidos, três foram por ausência de requisito de registro e um por ficha limpa. Sem detalhar qual, um entrou com recurso e teve sua candidatura deferida. Em 2016, o número de solicitações foi de 331. 

Para 2020, 67,3% dos candidatos são homens e 32,7%, mulheres.

Confira a distribuição, em 2020, das candidaturas por partido: PP: 2 (0,56%), PC do B: 3 (0,84%), Solidariedade: 7 (1,96%), DEM: 14 (1,96%), PL: 15 (4,19%), Avante: 18 (5,03%), PSB: 20 (5,59%), MDB: 22 (6,15%), PT: 22 (6,15%), Cidadania: 24 (6,70%), PSD: 24 (6,70%), PSDB: 26 (7,26%), Patriota: 26 (7,26%), PV: 26 (7,26%), PDT: 27 (7,54%), Republicanos: 27 (7,54%), PSL: 27 (7,54%) e PSC: 28 (7,28%).

Na atual distribuição, PSDB, MDB e Cidadania têm as maiores bancadas da Câmara, com três representantes cada. O MDB ainda ocupa o cargo máximo no Executivo.

Orientações

Dada a pandemia, o TSE elaborou o “Plano de Segurança Sanitária das Eleições Municipais de 2020”. O texto proíbe o uso de biometria para identificação do eleitor e amplia o horário da votação, que será das 7h às 17h. O período entre 7h e 10h será preferencial para eleitores com 60 anos ou mais, “independentemente do momento de sua chegada à seção eleitoral, ficando resguardada, dentro desse grupo, a preferência dos eleitores com mais de 80 anos”.

Após a circulação de informações falsas sobre a orientação, o órgão esclareceu o assunto.

—  Durante o período previsto no caput, os eleitores com idade inferior a 60 anos não serão impedidos de votar, mas deverão aguardar em fila separada até que todos os eleitores com 60 (sessenta) anos ou mais, já presentes ou que cheguem à seção, tenham votado — reforçou.

Justificar

Outra medida de prevenção à covid-19 é a possibilidade do uso da tecnologia para justificar, em até 60 dias após a eleição, a ausência no dia da votação.

Para evitar aglomerações, que podem aumentar a disseminação da covid-19, a Justiça Eleitoral orienta que, preferencialmente, a justificativa seja feita por meio da internet, no Portal do TSE ou pelo aplicativo e-Título, que recentemente ganhou essa nova funcionalidade. Vale lembrar que o eleitor ausente deve apresentar uma justificativa para cada dia de votação em que não compareceu — orienta o tribunal.

Para emitir o e-Título é preciso estar em situação regular na Justiça Eleitoral.

Comentários
×