Mais duas macrorregiões de Saúde avançam para a onda verde do Minas Consciente

Com a mudança, 12 das 14 áreas passam a integrar a fase mais flexível do plano do Governo do Estado

Da Redação

Doze das 14 macrorregiões de Saúde mineiras estão na onda verde do Minas Consciente, plano elaborado pelo Governo de Minas para garantir a retomada gradual e segura da economia nos municípios. A redução de 24% da incidência da covid-19 nos últimos 14 dias no estado contribuiu para esse cenário.

O número foi atingido após as regiões Triângulo do Norte e Leste do Sul avançarem para a fase do plano onde mais atividades são permitidas, conforme decisão tomada pelo Comitê Extraordinário Covid-19, nesta quarta-feira, 11. A onda verde possibilita, por exemplo, a reabertura de parques, cinemas e museus, desde que as regras sanitárias e de distanciamento sejam seguidas.

Cautela

O governador Romeu Zema disse que os esforços para conter a pandemia possibilitaram este avanço de mais duas macrorregiões para a onda verde.

— Minas é o estado com a menor taxa de óbitos por 100 mil habitantes. Mas a batalha ainda não terminou. Temos que continuar usando mascará e tomando todas as medidas preventivas, porque o vírus continua entre nós e, infelizmente, fazendo vítimas — alertou.

De acordo com o comitê, a macrorregião Sudeste se manteve na onda verde, mas apresentou índices que demostram uma piora na situação epidemiológica, o que exigirá uma avaliação criteriosa nos próximos dias.
 


Balanço

Até o momento, 657 cidades mineiras aderiram ao plano Minas Consciente, impactando 13,4 milhões de pessoas. Neste contexto, 541 cidades do estado com menos de 30 mil habitantes registraram incidência da covid-19 abaixo de 50 casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias.
 

Onda verde


As regiões Triângulo do Norte e Leste do Sul avançaram para a onda verde* nesta semana, se unindo às macrorregiões NorteNoroesteNordesteJequitinhonhaCentroSudesteCentro-SulOesteSul e Triângulo do Sul, que já haviam progredido anteriormente. Essa fase possibilita a abertura de serviços não essenciais com alto risco de contágio. São eles:

- Atividades artísticas, como produção teatral, musical e de dança e circo;
- Cinemas, bibliotecas, museus, arquivos;
- Parques, zoológicos e jardins;
- Feiras, congressos, exposições, filmagens de festas, casas de festas, bufê;
- Parques de diversão, discotecas, boliches, sinuca;
- Bares com entretenimento (shows e espetáculos);
- Serviços de colocação de piercings e tatuagens.

*Para avançar para a onda verde, as cidades precisam estar há 28 dias consecutivos na onda amarela, sem sofrer retrocessos durante esse período.



Onda Amarela


As macrorregiões Vale do Aço e Leste permanecem na onda amarela. A fase permite a abertura de serviços não essenciais, como:

- Bares (consumo no local);
- Autoescolas e cursos de pilotagem;
- Salões de beleza e atividades de estética;
- Comércio de eletrodomésticos e equipamentos de áudio e vídeo;
- Papelarias, lojas de livros, discos e revistas;
- Lojas de roupas, bijuterias, joias, calçados, e artigos de viagem;
- Comércio de itens de cama, mesa e banho;
- Lojas de móveis e lustres;
- Imobiliárias;
- Lojas de departamento e duty free;
- Lojas de brinquedos;
- Academias (com restrições);
- Agências de viagem;
- Clubes.

Comentários
×