Mais de 15 mil pessoas ainda não se vacinaram contra gripe

 

Maria Tereza Oliveira

O período de frio intenso mal começou, mas as consequências da gripe já atingem a cidade. De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde (SES), até o dia 17 de maio, na Macrorregião já são 28 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), três mortes e um caso de influenza H1N1. A 21ª Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe começou em 10 de abril e, até o momento, segundo a Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), na cidade 39.931 pessoas foram vacinadas, ou seja, uma cobertura de 72,42% da população alvo.

A campanha de vacinação tem como meta a imunização de 90% do grupo prioritário. Neste ano, a Semusa espera imunizar cerca de 55 mil pessoas. Mesmo com inúmeras ações de conscientização e com poucos dias para o fim da campanha, quase 20% da população ainda não se vacinou. Um dos maiores obstáculos é a resistência de algumas pessoas em relação a tabus com a vacinação.

Enquanto isso, fantasmas da influenza H1N1, popularmente conhecida como gripe suína, rondam a cidade e o estado.

Pouca procura

Enquanto na semana passada 39.345 pessoas já tinham sido imunizadas, nesta semana o número é de 39.931. Ou seja, mesmo com a importância da vacinação sendo debatida, apenas 586 se vacinaram em uma semana.

Dividir para conquistar

A imunização da população tem sido dividida em grupos para evitar filas e tumultos nas unidades de saúde. Conforme salientou o secretário de Saúde, Amarildo de Sousa, a decisão é para que haja mais conforto para os pacientes, assim como para os funcionários da saúde.

As vacinas estão sendo aplicadas nas centrais de Saúde do Afonso Pena, Bom Pastor, Central, Centro Social Urbano (CSU), Danilo Passos, Ipiranga, Itaí, Nações, Niterói, Nossa Senhora das Graças, São José e Estratégia Saúde da Família (ESF) Ermida.

O primeiro grupo a receber a dose foi o das gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto) e crianças com idade entre seis meses e cinco anos. Esta primeira fase durou de 10 a 30 de abril.

Em paralelo, de 22 a 26 de abril, os trabalhadores da área de saúde também foram imunizados.

De 29 de abril a 3 de maio, foi a vez das pessoas com idade igual ou superior a 60 anos serem vacinadas.

Entre os dias 6 e 10 de maio, portadores de doenças crônicas, síndrome de down e outras, foram imunizados.

Os professores receberam a dose da vacina entre 13 e 17 deste mês.

Na última fase da campanha, as unidades estão abertas para todos os grupos prioritários, do dia 20 até o dia 31.

Pessoas com doenças respiratórias graves, como asma grave, que não se enquadrem dentro da faixa etária estabelecida, também podem ser vacinadas. Porém, nestes casos, é preciso ter o laudo médico.

Para ser imunizada, a pessoa precisa levar o cartão de vacina.

H1N1

Há exatamente dez anos, o mundo sofria o primeiro surto de gripe suína. Em abril de 2009, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou pandemia de gripe A H1N1 mundial. O surto global foi marcado por uma variante de gripe suína cujos primeiros casos ocorreram no México e, em pouco tempo, espalharam-se pelo mundo.

Segundo dados da SES, até o dia 17, em todo o estado, 945 casos de SRAG foram notificados neste ano. Destes, 39 foram provocados por Influenza e 100 por outros vírus respiratórios.

Ainda conforme as informações da SES, já são 91 mortes por SRAG, sendo 11 por associação a vírus respiratórios.

Outras formas de combate

Além da vacinação, o Ministério da Saúde recomenda medidas para evitar a contaminação pelo vírus.

Ações simples como lavar constantemente as mãos, sobretudo antes de ingerir alimento, adoção da etiqueta respiratória, que consiste em espirrar na parte de dentro dos cotovelos e cobrir a boca ao tossir, visando à redução do risco de infecção pelo vírus.

Quem apresentar sintomas de gripe deve evitar, por até sete dias (período de transmissão da doença), ambientes fechados e com grande aglomeração de pessoas. A SES também recomenda a ingestão de líquidos e uma alimentação balanceada.

 

Comentários
×