Maiher Menezes leva a arte da dança para as ruas

Apresentações estão sendo filmadas nos mais diversos pontos da cidade

Da Redação

A Escola de Dança Maiher Menezes, com 20 anos de sucesso em Divinópolis e região – tendo à frente o profissional da dança com 25 anos de estrada Mailher Menezes –, inova ao levar para as ruas e praças da cidade a arte da dança. A escola foi contemplada pela Lei Aldir Blanc Estadual para desenvolver um show e Maiher Menezes criou, em conjunto com seus alunos – cerca de 150 dançarinos –, o projeto "A Rua é nosso palco, a Dança é nossa vida", que tem como propósito usar de "pano de fundo" lugares de importância histórico-cultural do município.

— Fomos contemplados pela Lei Aldir Blanc Estadual para desenvolver um show. Como a pandemia se estendeu por um tempo maior, estamos filmando o projeto, que depois será disponibilizado gratuitamente nas redes sociais da escola — detalha.

Na rua

Seguindo a máxima de que “todo artista tem de ir aonde o povo está”, refrão cantado em verso e prosa por Milton Nascimento, na música “Nos Bailes da Vida”, Maiher Menezes colocou o ensinamento em prática.

—  O maior palco para as artes é, sem dúvida, as ruas. Depois de tanto tempo isolado, estamos ensaiando o retorno ao novo normal e nada mais justo que ir ao encontro da população. Para não haver aglomeração, decidimos pegar os transeuntes de surpresa e presenteá-los com nossa arte ao vivo. A emoção aflora a cada momento, pois estamos recebendo um carinho sem igual de todos, que param, aplaudem, gritam, buzinam e elogiam — conta o empresário da dança. 

Vídeos

Ao todo, o projeto terá uma série de 21 vídeos, feitos nos mais diversos pontos da cidade. As filmagens terminam no fim deste mês. A produção já passou pelos seguintes pontos: Praça do Santuário, Catedral, Parque da Ilha, Praça Ceus (Nossa Senhora da Graça), Praça do Mercado, mirante do bairro Serra Verde, Praça Candidés, Divinópolis Clube e ainda restaurante Cheia de Graça, Secretaria de Cultura (Antiga Estação Ferroviária), Cruz de Todos os Povos, dentre outros.

— Pelo fato de sempre nos apresentarmos em locais fechados, achamos importante ir ao encontro da população e aproveitar esse cenário lindo: as ruas de Divinópolis. São tantos pontos de importância cultural que, com a correria do dia, passam despercebidos por todos nós. Esse reencontro tem sido um bálsamo na vida dos dançarinos e um abraço à população que está tão privada da arte, restrita à sua forma virtual. As pessoas param, tiram fotos, elogiam e pedem que façamos mais vezes as intervenções. E sempre levando em frente o lema de que "Em lugar onde não há atividades culturais, a violência vira espetáculo" — finaliza Maiher.

 

Comentários
×