Macrorregião Oeste permanece na onda verde

Estado não tem nenhuma macrorregião na onda vermelha do Minas Consciente

Da Redação

A Macrorregião Oeste, da qual Divinópolis faz parte, permanece na onda verde por mais uma semana. A classificação foi atualizada ontem pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG). Nesta semana, o governo estadual permitiu o avanço do Triângulo Sul, única que ainda estava na onda vermelha, para amarela, e da Leste do Sul para a verde. As demais não sofreram alteração. 

Como é tradicional, a classificação das microrregiões é divulgada hoje. Também nesta sexta-feira o Comitê Municipal de Enfrentamento e Combate à Covid-19 deve se reunir para debater os dados epidemiológicos de Divinópolis e definir a permanência na onda verde, além de definir se serão adotadas medidas mais restritivas ou não.

Melhor

Conforme anuncia a SES-MG, o cenário estadual tem melhorado. Prova disso é que, atualmente, nenhuma macrorregião encontra-se na onda vermelha.

— Minas Gerais tem, atualmente, todas as macrorregiões nas ondas amarela e verde do plano Minas Consciente, devido à melhora nos indicadores da pandemia na última semana — destacou. 

O secretário de Estado de Saúde, o médico Fábio Baccheretti, reforça que a aceleração da imunização é essencial para a melhora dos indicadores. 

— Os números nos trazem boas notícias. Nossa expectativa é muito positiva com o aumento da vacinação agora em agosto, para que a gente não tenha nenhum revés em relação à pandemia — observa.

Vacinação

Nesta semana, Minas Gerais distribuiu para as Unidades Regionais de Saúde (URSs), na segunda-feira, 16, 628.490 doses de vacina contra a covid-19 e, na quarta-feira, 18, 947.810. A Prefeitura Divinópolis informou que recebe hoje 4.662 doses de Pfizer e 1.100 CoronaVac

Segundo dados do painel Vacinômetro apresentados nesta quinta-feira, mais de 11,5 milhões de pessoas já receberam a primeira dose em Minas Gerais, o que garante uma cobertura vacinal de 70,65% no estado. Além disso, a cobertura de segunda dose e dose única aplicadas chega a 30,83%. 

Internações

Na manhã de ontem, o estado contabilizava 22 pacientes aguardando internação em UTI devido à doença e outros 136 esperavam por um leito em enfermaria, conforme dados das centrais de regulação estaduais e municipais. 

— Este é o menor número de pacientes aguardando leitos no ano — destacou o governo.

Em junho, por exemplo, eram 227 à espera: “Com isso, observa-se menor pressão sobre os leitos hospitalares neste momento”.

— Baccheretti também detalhou, ao Comitê Covid, que há tendência de queda no número de pacientes internados em terapia intensiva. Além disso, em termos gerais, a incidência da doença diminuiu 30% em Minas Gerais nas últimas duas semanas — informou o Estado.

Variante delta

O painel da evolução da covid-19 mostra que Minas Gerais já tem transmissão comunitária da variante delta. O número, no entanto, ainda é baixo, de acordo com o secretário Fábio Baccheretti, embora a tendência seja de aumento. 

— Há 12 casos confirmados no estado, sendo cinco na macrorregião Centro, quatro na Sudeste, dois na Noroeste e um na macro Norte. Esse total corresponde a 0,4% das amostras mineiras. No país, 21% das amostras já indicam contaminação pela variante — detalhou a SES.

A secretaria ainda analisa outros oito casos prováveis ligados à delta. O objetivo é “intensificar a vigilância em regiões limítrofes, que fazem divisa com outros estados, como a Leste do Sul e a Sudeste, que estão próximas do Rio de Janeiro, onde a variante está mais disseminada”. 

— Já temos transmissão comunitária dentro do estado, mas ela ainda está baixa. As medidas de prevenção para a variante delta devem ser mantidas: uso de máscara, higiene das mãos e distanciamento social. É importante que a gente continue seguindo esses protocolos — finalizou o secretário. 



Comentários
×