Lutero

João Carlos Ramos

Martin Luther, nascido em Eisleben, Alemanha, em 10 de novembro de 1483 e falecido 18 de fevereiro de 1546, foi cognominado "pai do protestantismo". Monge agostiniano, extremamente obediente às ordens papais, após seus incomparáveis atos de bravura espiritual, se casou com a ex- monja Catarina Von Bora. Revoltou-se contra os abusos do clero da época, principalmente, contra o vendedor de indulgências Johann Tetzel.

Traduziu os originais grego e hebraico que compunham a Bíblia Sagrada para o alemão, e assim criou o referido idioma pátrio. Fixou na porta do Castelo de Wittemberg as famosas 95 teses, que se tornariam um marco referencial e fim de uma era de opressão e autoritarismo religioso sem precedentes. Sabemos que ele foi um dos responsáveis por formular o sistema de ensino público que serviu de modelo para a escola moderna do ocidente. O livre-pensamento também teve, em Lutero, o pioneirismo exemplar e audaz. Segundo estatísticas recentes, temos hoje 970 milhões de fiéis, divididos em tradicionais, pentecostais e neopentecostais. Numa análise fria, constatamos que o catolicismo se aproxima dada vez mais do protestantismo, e o protestantismo se distancia cada vez mais do movimento original luterano. Principalmente o terceiro grupo citado sofreu a influência extrema do processo midiático da globalização, priorizando a "teologia da prosperidade". A referida teologia, a meu ver, jamais pode ser uma doutrina popular, pois Deus não é um grande comerciante, outorgando milagres a granel para os afeiçoados clientes. Deus trata com seus filhos individual e incondicionalmente.

Os princípios de conduta e doutrina originais foram relevados à importância secundária ou totalmente nula. Categoricamente, posso afirmar que, se Lutero levantasse do túmulo hoje, morreria de infarto do miocárdio ao constatar o rumo que tomou o caminho sacrossanto, iniciado por ele no século XVI.

Fomos informados que vendem qualquer mercadoria desejável pelo preço de dízimos e ofertas, numa total distorção dos ensinamentos bíblicos.

Jesus Cristo, o Deus encarnado, novamente expulsaria os "vendilhões do templo" com seu azorrague, principalmente no Brasil, exportador de corrupção.

O evangelho de Mateus 19:21 diz: "...vende tudo que tens, dá os aos pobres e terás um tesouro nos céus". Ainda bem que existem verdadeiros discípulos de Lutero!

jocarramos@gmail.com

Comentários
×