Livro discute questão de gênero em Divinópolis

Escrito por Márcio Almeida, comentarista do Agora, e-book tem distribuição gratuita

 

Da Redação

Divinópolis, como vários outros municípios brasileiros, está vivendo uma onda de radicalismo em torno da questão de gênero. A constatação é do professor, escritor e jornalista Márcio Almeida. Colunista do Agora, onde também é comentarista da Resenha da Semana, apresentada às sextas-feiras, Márcio acaba de lançar o livro “O G da Questão – Uma visão do debate sobre gênero, educação laica e políticas públicas no Brasil”. O livro, em formato e-book, é gratuito e pode ser baixado a partir de links disponibilizados tanto nesta matéria quanto no perfil do autor no Instagram (marcioalmeidamg). Com prefácio da vereadora Lohanna França e posfácio da médica Rosângela Guedes, a obra é destinada ao público leigo que deseja se informar sobre o que está acontecendo em torno do tema, hoje um dos mais polêmicos do país. A intenção, segundo o autor, foi mostrar o contexto em que os fatos sobre a questão de gênero surgiram, evoluíram e estão se verificando hoje, tendo em vista a educação laica e as políticas públicas.

 

O livro 

Escrito entre setembro e novembro de 2021, nos intervalos entre as horas de trabalho de Márcio, “O G da Questão” aborda episódios recentes envolvendo a questão de gênero em Divinópolis, em Minas e no país. Entre eles está a votação de uma polêmica lei que proibiu a discussão da chamada linguagem neutra em instituições de ensino do município, o desmaio de um parlamentar na Câmara Municipal ao se defender de ataques que lhe foram feitos a propósito de um projeto sobre a população trans e polêmicas surgidas nos ambientes escolar e religioso. Entre os episódios ocorridos em Minas é comentada a aprovação de uma lei contra a transfobia pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais, que depois, sob pressão, a rejeitou. Também são comentadas a polêmica em torno do atleta de vôlei Maurício Souza, do Minas Tênis Clube, demitido por ter feito uma declaração considerada homofóbica em suas redes sociais, e a discriminação sofrida em um salão de beleza pela vereadora trans Duda Salabert, de Belo Horizonte, entre vários outras notícias.

Ponto comum a esses e vários outros fatos analisados pelo livro, a chamada “ideologia de gênero” é explicada por Márcio de forma didática, mostrando quem são seus teóricos e aqueles que se opõem a eles, bem como os pontos de divergência. 

— Parte do debate que se faz hoje sobre o tema, inclusive em redes sociais, repete ideias sem ir de fato à origem da questão — explica o jornalista. 

 

Aspectos 

Ao traçar a evolução da polêmica, Márcio percorre aspectos políticos, legais, educacionais e religiosos envolvidos na discussão, explicando tanto as novas teorias de gênero como a reação a elas. Com didatismo, a obra junta conceitos de áreas como sociologia, psicologia, psicanálise, antropologia e filosofia, além de direito, ciência política e história. Os fatos noticiosos são apresentados com links que permitem checar as informações. Já as teorias são explicadas com base na ampla bibliografia. Ela inclui mais de 100 títulos teóricos revisitados por Márcio, que há quase três décadas escreve sobre direitos humanos e políticas públicas no Brasil.      

— Poucos possuem a clareza, a lucidez e a impressionante capacidade de organizar argumentos que possui o autor desses escritos — escreveu a vereadora Lohanna França no prefácio, no qual mostra a pertinência da obra para o momento atual.

Já a médica Rosângela Guedes destaca o caráter prático do livro. Trata-se, segundo ela, de um texto que, além de propor reflexões e medidas em nível de políticas públicas, “mostra, de maneira brilhante, como tais questões vêm sendo conduzidas em nossa região e no país”. Falando ao Agora, em entrevista disponível no perfil do jornal no Instagram, Márcio definiu seu novo livro como uma busca de conciliação.

— É uma tentativa de mostrar que religião e políticas públicas inclusivas podem conviver de modo civilizado no Estado Democrático de Direito, com respeito aos direitos humanos, à fé esclarecida, assim como o pluralismo na educação — comentou o jornalista, que há dez anos mora em Divinópolis, onde, além de educador, é considerado um dos mais atentos e ativos formadores de opinião sobre questões de interesse público.

Acesso

Você pode baixar e acessar o livro neste link. 

Comentários
×