LiraA deve apontar alto índice de dengue em Divinópolis

Rafael Camargos

Diferente do último Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa), feito em novembro do ano passado, o novo levantamento que vem sendo feito pela Diretoria de Vigilância em Saúde, através da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), deve apontar um resultado diferente. O primeiro relatório de 2018 deve ser divulgado nos próximos dias e pode conter números preocupantes. O objetivo era entregar o material até a próxima terça-feira, 9, porém os agentes epidemiológicos estão encontrando dificuldades devido ao alto volume de chuvas nas últimas semanas.  

De acordo com a diretora da Vigilância em Saúde, Janice de Oliveira Soares, o LiraA funciona como um mapeamento rápido de indice de infestação de Aedes aegypti e o trabalho que vem sendo desenvolvido pelos 100 profissionais da pasta empenhados é encontrar reservatórios e focos nas seis regiões em que a cidade está dividida.

— Estamos realizando nesta semana, mas como está chovendo bastante, nosso trabalho está sendo prejudicado. Estamos fazendo um mapeamento rápido por infestação do mosquito. O município tem vários imóveis e separamos a equipe por grupos. A cidade é dividida em seis regiões. Os grupos vão até esses imóveis para ver a condição dos reservatórios e buscar os focos — informou Janice.

Sobre a possibilidade do LiraA apontar um índice maior que o último, realizado em novembro  do ano passado, a Janice Soares foi enfática.

— Provavelmente mais grave que o último. Porque quando fizemos o anterior não estávamos no período chuvoso. O mosquito utiliza a água da chuva e as poças d’água para se proliferar — argumentou.

Chuvas


O alto volume de chuvas contribui para o aumento dos focos da dengue. Por isso, a Vigilância recomenda que é importante ficar atento em casa. O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) aponta que no fim desta semana o céu ficará encoberto a nublado com pancadas de chuva, por vezes forte e com trovoadas isoladas no Oeste, Campo das Vertentes, Metropolitana, Zona da Mata e Rio Doce.

Demais regiões, céu nublado com pancadas de chuva e trovoado isoladas. Isso, segundo o instituto, ocorre devido áreas de instabilidade atmosférica geradas pelo forte aquecimento diurno, alta umidade do ar e a passagem de uma frente fria que causarão um aumento da nebulosidade e as típicas pancadas de chuva de Verão.

Último LiraA

O último levantamento apontou índice médio em Divinópolis. A maioria dos focos continua nas residências.

Comentários
×