Língua portuguesa

Lição de casa

1- “menas” não existe.
2- “A gente” = Nós.
3- “Agente” pode ser secreto.
4- “Mais” é antônimo de menos.
5- “Mas” é sinônimo de porém.
6- “Mau” é adjetivo e se opõe a “bom”.
7- “Mal” é adverbio e se opõe a “bem”.
8- “Com certeza” se escreve junto.
9- “Desde” se escreve junto.
10- “Seje/esteje” está errado.

Curiosidades
O vocabulário do jovem no século XXI

“Um nojo”

Utilizado normalmente para expressar repúdio a algo ou a alguém, o termo "nojo" virou uma gíria muito popular entre os jovens como um autoelogio em tom de deboche. A expressão viralizou na internet e migrou para o cotidiano como forma de se dizer "olha como estou maravilhosa hoje", por exemplo.

Exemplo: "Nossa, hoje eu ‘tô’ um nojo de linda".


Vem de zap

Em alta entre os jovens, o "vem de zap" surgiu nas comunicações da internet como forma de pedir o contato de WhatsApp, com o objetivo de iniciar uma conversa, quase sempre com intenções amorosas. A palavra zap, como abreviatura de WhatsApp, substitui o velho "passa seu contato" ou "me passa seu telefone".

Exemplo: "E aí bebê, vem de zap". 

Reflexão da semana
“O que você fez daquilo que te fizeram?”
(Autor desconhecido)

Reflexão bíblica
“Tu és o meu Rei, ó Deus; ordena salvações para Jacó.
Por ti venceremos os nossos inimigos; pelo teu nome pisaremos os que se levantam contra nós.”Salmos 44:4,5

Ria... Por favor!!!

Desde já, me antecipo em minha cartinha de natal:
“Querido Papai Noel, peço a você um corpo magro e uma carteira gorda. No ano passado você se confundiu e inverteu as coisas.”

Paraíso e inferno

Paraíso é aquele lugar onde o humor é britânico, os cozinheiros são franceses, os mecânicos são alemães, os amantes são brasileiros e tudo é organizado por suíços.

Inferno é aquele lugar onde o humor é alemão, os cozinheiros são britânicos, os amantes são suíços e tudo é organizado por brasileiros. (Autor desconhecido)

Máximas do Professor Carlinhos

  • O genro, engraçadinho, sentado à mesa, pergunta a sogrinha;
  • — Isso e pavê ou pacumê?
    A impossibilidade de argumentos dos defensores da inexistência de Deus já é a mais irrefutável e maior prova de sua existência.
  • Questionam-me por não me reportar nada sobre a morte. Justifico-me: prefiro não ficar criando muita intimidade.
Comentários
×